Plano de estagio

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3830 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
PLANO DE ESTAGIO

1. IDENTIFICAÇÃO
1.1 Estagiárias (o):
Nome: Ariane da Rocha Sales
Endereço Residencial: Avª João Marangoni, 75, Parque Alvomar, Sarandi PR·.
Telefone: (44)9947-3796
Dias da semana para realização do estágio: Quarta-Feiras
Horário disponibilizado para o estágio: 08 h ás 17h
Período previsto para realização do estágio:

1.2 Local do Estágio
Instituição: CrasRequião
Endereço: R: Maria Paulina Palma, 453, Conjunto Requião
Telefone: (44)3901-1912
Dias e Horários de funcionamento: Seg a Sex das 08 h ás 17 h
Supervisor (a) campo (a): Karine Daniele O. Antunes
Número do Registro no CRESS: 7403/PR
Supervisor acadêmico: Franciele Jaqueline Gregorio
Número do Registro no CRESS: 7274/PR


2. LOCALIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO - CAMPO DE ESTÁGIO

2.1.Relação com a Política Social
Problematização da Política Social e sua relação com a instituição campo de estágio (geral e em Maringá), tendo em vista os determinantes sócio histórico e políticos, as implicações para a instituição, o Serviço Social e a população usuária, a partir da experiência vivenciadas no estágio. Alguns aspectos devem ser considerados ao proceder tal análise (natureza dainstituição (publico, privado, ONG), legislação pertinente, publico alvo, demanda atendida, objetivos, diretrizes, inter-relação com a política setorial).

Em 7 de Dezembro de 1993 foi decretado a LEI Nº 7421 a Lei Orgânica da Assistência Social.
A Loas é o instrumento que regulamenta os pressupostos constitucionais, ou seja, aquilo que esta escrito na Constituição Federal, nos artigos 203 e204, que definem garantem o direito á assistência social, onde institui benefícios, serviços, programas e projetos destinados ao enfretamento da exclusão social dos segmentos mais vulnerabilizados da população. Os pressupostos constitucionais de assistência social também se concretizam por intermédio da Politica Nacional de Assistência Social.
De acordo com o Art. 203 da ConstituiçãoFederal de 1988, “a assistência social será prestada a quem dela necessitar, independentemente de contribuição à seguridade social”, isso significa que ela é diferente das políticas de Saúde e Previdência social. Enquanto a primeira é universal e a segunda é contributiva a política de Assistência Social, quando a lei cita “a quem dela necessitar”, coloca a necessidade de que aqueles que delanecessitarem devem enquadrar-se nos critérios de acesso a esta política, tal quais os critérios de renda.
A Politica Nacional de Assistência Social é dirigida ao atendimento de famílias em situação de vulnerabilidade social e é um serviço continuado de proteção social básica desenvolvido pelos Centros de Referência da Assistência (CRAS) ou “Casas de Famílias”.
O CRAS presta atendimentosocioassistencial e fazem encaminhamento às redes de proteção social em cada localidade. O PAIF é assumido e pactuado pelas diferentes esferas de governo. O CRAS executa serviços de proteção básica, organiza e coordena a rede de serviços sócio - assistenciais locais da política de assistência social.
A atuação do CRAS se dá no âmbito das famílias e indivíduos em seu contexto comunitário, visando àorientação e o convívio sócio-familiar e comunitário. Dessa forma é responsável pela oferta do Programa de Atenção Integral às Famílias – PAIF. Na proteção básica, o trabalho com famílias terá como objetivo superar o reconhecimento de um modelo único baseado na família nuclear.
Como responsabilidades à equipe do CRAS deve prestar informação e orientação para a população de sua área deabrangência, e articular com a rede de proteção social local no que se refere aos direitos de cidadania, mantendo ativo um serviço de vigilância da exclusão social na produção, sistematização e divulgação de indicadores da área de abrangência do CRAS, em conexão com outros territórios.

Fonte:
ttp://www.mesquita.rj.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=408&Itemid=376...
tracking img