Pedagogico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1293 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
RELATO – ATIVIDADES COMPLEMENTARES
Aluno:_ARIOVALDO DE SOUZA____________________________________________________________
Tutor:_FLAVIA ELIZABETH TEROSSI_____________________________________________Turma:_3680________
Módulo: 11 Data de Entrega:_27___/_10__/__12___
Conferência: Preconceito Lingüístico
Conferencista: Marcos Bagno
Carga horária validada: 100___horas.

O que épreconceito lingüístico? Quais são segundo o autor seus principais mitos?
A conferência, de Marcos Bagno faz uma abordagem a respeito do preconceito lingüístico e sua força na sociedade. Trazendo dados apresentados em seu livro de mesmo nome, Marcos Bagno comenta os mitos que rondam o ensino e a aprendizagem da língua portuguesa.
Os chamados erros gramaticais não existem nas línguas naturais, salvo porpatologias de ordem cognitiva. Segundo os lingüístas, a noção de correto imposta pelo ensino tradicional da gramática normativa origina um preconceito contra as variedades não-padrão.
De acordo com o professor Marcos Bagno, o preconceito lingüístico é uma forma de preconceito a determinadas variedades lingüísticas que acabou consagrando alguns mitos que precisam ser identificados e dissecados, asaber: 
Monolinguismo
"A língua portuguesa apresenta uma unidade surpreendente"
O Português não é um milagre lingüístico em que todos se entendem perfeitamente de norte a sul. Existe uma variação lingüística determinada pela origem geográfica, faixa etária, classe social, categoria profissional, nível de escolaridade, dentre outros fatores formadores desta diversidade.
Só em Portugal se falabem o Português
"O brasileiro não sabe falar bem o português"

Hoje, o fantasma colonial assombra o povo brasileiro que tem suas peculiaridades, cuja língua foi construída a partir da diversidade de raças e culturas. O brasileiro fala muito bem a sua língua materna, respeitadas as especificidades de cada região. Existe a língua culta ensinada na escola, contudo, é importante ressaltar que a nossaliteratura é de grande valor e alcance literário. Já a maior parte da população brasileira, faz uso do português "não-padrão" cuja variedade linguística é tipicamente nossa, não correspondendo em absolutamente nada ao português de Portugal. O que ocorre é que na língua falada, as diferenças entre o português de Portugal e o português falado Brasil são tão grandes que muitas vezes surgemdificuldades de compreensão, tanto que determinadas expressões portuguesas possuem um sentido completamente distinto se proferidas em nosso país. Diferente da escrita formal em que a ortografia é praticamente a mesma, com poucas diferenças. Portanto, nenhum dos dois é mais certo ou mais errado, mais bonito ou mais feio: são apenas diferentes um do outro e atendem às necessidades lingüísticas dascomunidades que os usam, necessidades estas que também são diferentes.

O Português é muito difícil

Do ponto de vista lingüístico, nenhuma língua é difícil ao seu próprio falante. É claro que um estrangeiro encontrará dificuldades para aprender nosso idioma como ocorre em qualquer parte do mundo. É preciso considerar a "intuição lingüística" e o "saber prévio". Por exemplo, desde muito cedo, a criançajá domina perfeitamente sua língua materna. Hoje, a Pedagogia Lingüística moderna aproveita o conhecimento prévio do aluno e busca aperfeiçoar e ampliar esse saber.

"Não há língua fácil ou difícil. Todas elas se equivalem em complexidade e organização. Crianças por volta dos dois anos de idade, em qualquer parte do mundo, aprendem a falar seu idioma com muita facilidade. É possível que estemito se originou a partir da forma como se ensina o português no Brasil, de um modo artificial que não tem nada a ver com a realidade dos alunos, insistindo numa gramática totalmente anacrônica, desestimulando o interesse do aluno pelo estudo da Língua Portuguesa, perturbando a relação professor/aluno, afirma Carlos Alberto Faraco, Doutor em Lingüística".

"É preciso saber gramática para falar e...
tracking img