Pedagogia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1720 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Linguagem, Técnica e Virtualização

TEXTO DE APOIO

As três virtualizações que fizeram o humano: A linguagem, a técnica e o contrato1
Pierre Lévy

O nascimento da linguagem ou a virtualização do presente Três processos de virtualização fizeram emergir a espécie humana: o desenvolvimento das linguagens, as multiplicações das técnicas e a complexidade das instituições. A partir do surgimentoda linguagem, nós, humanos passamos a habitar um espaço virtual, o fluxo temporal tomado como um todo, que o imediato presente atualiza apenas parcialmente, fugazmente. Nós existimos. O tempo com extensão completa não existe a não ser virtualmente. Com base na teoria de Bakhtin e Lévy venho fazer um paralelo de suas idéias sobre a linguagem. Apesar de Bakhtin não ter vivido na era da informática,suas teorias podem ser apropriadas para o dialogo sobre a virtualidade. Nascido em 1895 na Rússia, Bakhtin cursou a faculdade Filosofia. Ele compartilhava com os teóricos do marxismo um interesse no mundo social, histórico, e nas suas relações com a formação da consciência e na linguagem como campo e material ideológico. Bakhtin defende a idéia que a consciência individual e um fatosócio-ideológico. O sujeito bakhtiniano só pode ser compreendido ou entendido a partir das relações que promovem em seu meio já que as características tipicamente humana surgem da interação dialética entre o homem e seu meio sociocultural. Trata-se assim que a relação do homem com o mundo não é uma relação direta, mas através de uma ferramenta auxiliar da atividade humana que é a linguagem. O filósofo PierreLévy nasceu em 1956 em Tunis, na França. Estudou História e posteriormente, Historias da Ciência. Em sua obra, demonstra estar convencido do papel fundamental das técnicas de comunicação na evolução da cultura, e nos campos da educação, da filosofia e da antropologia. Em uma de suas obras, as tecnologia das inteligência, estuda o conceito de hipertexto e o relaciona com o nascimento de uma novaciência, a ecologia cognitiva. Ao mesmo tempo em que é constituída, linguagem é um fator importante para o desenvolvimento mental, exercendo uma função organizadora e planejadora do pensamento, pois ela tem uma função social e comunicativa. A partir da interação social, da qual a linguagem é expressão fundamental, o sujeito constrói sua própria individualidade. A construção do sujeito e de suaconsciência é em si mesma, uma construção social, na medida em que a consciência é um contato social consigo mesmo.

1

Texto com citações e baseado no Livro O que é o virtual, de Pierre Lévy, publicado pela Editora 34, em 1996.

A linguagem tem um papel especial, porque dá lugar a geração de signos que ao serem internalizados, transformam-se em consciência. Graças a linguagem, temos acesso „direto”ao passado sob a forma de uma imensa coleção de lembranças datadas e de narrativas interiores. Os signos não evocam apenas coisas ausentes mas cenas, intrigas, séries completas de acontecimentos ligados uns aos outros. Sem as línguas, não poderíamos nem colocar questões, nem contar histórias, duas belas maneiras de nos desligarmos do presente intensificando ao mesmo tempo nossa existência. Os sereshumanos podem se desligar parcialmente da experiência corrente e recordar, imaginar, jogar, simular. Assim eles se deslocam para outros lugares, outros momentos e outros mundos. Não devemos estes poderes apenas às línguas como, o francês, o inglês, mas igualmente às linguagens plásticas, visuais, musicais, matemáticas etc. Quanto mais as linguagens se enriquecem, maiores são as possibilidades desimilar, imaginar, fazer imaginar um alhures ou uma alteridade. Neste ponto, reencontramos mais uma vez um caráter importante da virtualização, ao liberar o que era apenas aqui e agora, ela abre novos espaços, outras velocidades. Ligada à emergência da linguagem, surge uma nova rapidez de aprendizagem, uma celeridade de pensamento inédita. A revolução cultural anda mais depressa que a...
tracking img