Pedagogia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1753 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INSTITUTO DE FORMAÇÃO E EDUCAÇÃO TEOLÓGICA IFETE
CURSO: Licenciatura em Pedagogia
DISCIPLINA: Planejamento Educacional

PROFESSORA: Nivea

SINGULARIDADE DO PDE
Um Plano de Educação ou um Programa de Metas?

ALUNOS:
Leonilson Alves do Nascimento Paulo
Deusilene Carneiro Barbosa
Antônia Almeida
Jeane Aguiar de Meneses
Vera Lúcia da Silva Oliveira

PÓLO: Araturi

SUMÁRIO* Leonilson (Apresentação e Conclusão)
* Apresentação
* Introdução
* Conclusão

* Deusilene (Desenvolvimento)
* PDE venho para substituir o PNE?
* Respondendo a pergunta anterior

* Antônia Almeida (Desenvolvimento)
* Qual a Singularidade do PDE?
* Como o PDE assegura a qualidade da educação básica?

* Jeane (Desenvolvimento)
* Ações do PDE?
*Outras ações do PDE

* Vera Lucia (Desenvolvimento)
* Então: O PDE é um plano de educação ou um programa de metas?
* Todos pela educação


APRESENTAÇÃO

O seminário que a equipe apresenta se propõe a analisar a proposta do MEC, visando responder à seguinte pergunta: O PDE é um Plano de Educação ou um Programa de Metas? Pois traz a seguinte questão: Por que esse conjunto de açõesrecebeu o nome de “plano”? Se existe o PNE (Plano Nacional de Educação). Para responder estas perguntas, foram considerados os seguintes pontos:
* Análise da singularidade do plano em confronto com os planos anteriores, em especial com o vigente Plano Nacional de Educação - PNE;
* Verificar o grau em que está apto a assegurar a qualidade da educação básica;
* Finalmente, as maneirade conclusão, sugere-se um caminho para superar as limitações do PNE/PDE.

E em particular desenvolver o pensamento crítico, a maturidade acadêmica e a autonomia intelectual da nossa equipe ao passar para os demais, os tópicos que demos mais ênfases na pesquisa.

INTRODUÇÃO

Até o ano de 2007 o PNE vinha funcionando de maneira satisfatória fazendo com que as instituições de ensinocumprissem o que por ele havia sido proposto. Contudo, neste mesmo ano, o MEC resolveu lançar um novo plano: Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), o qual tem como prioridade uma educação básica de qualidade. Ou seja, o PDE é o PNE com outro Nome? Reinventado? Reformulado?
A conclusão que se patenteia é que o PDE foi formulado paralelamente e sem levar em conta o disposto no PNE.Confrontando-se a estrutura do PNE com a do PDE, constata-se que o PDE não constitui um plano, em sentido próprio. Ele define-se, antes, como um conjunto de ações que, teoricamente, se constituiriam em estratégias para a realização dos objetivos e metas previstos no PNE. Com efeito, o PDE dá como pressupostos o diagnóstico e o enunciado das diretrizes, concentrando-se na proposta de mecanismo que visam àrealização progressiva de metas educacionais, o PDE não se definem como uma estratégia para o cumprimento de metas do PNE, mas, um plano coletivo de médio e de longo prazo, sistêmico, cujo objetivo é melhorar a qualidade da educação no País, com foco prioritário na educação básica.
Enquanto o PDE estabelece um plano de metas de qualidade a serem alcançadas. O PNE adequar instituições de ensino, comocreches e pré-escolas, - através de diretrizes e metas, de acordo com padrões mínimos de infra-estrutura. E é de grande valia para a educação nacional – a universalização do ensino, além da criação de incentivos para que todos os alunos concluam a educação básica.
Em resumo, o PDE voltava-se mais para o incremento da qualidade da Educação, enquanto que o PNE priorizava quantidades.JUSTIFICATIVA/PROBLEMATIZAÇÃO

PNE (Plano Nacional de Educação - 2001) e PDE (Plano de Desenvolvimento da Educação – 2007). As leis aparentemente iguais deveriam no mínimo se completar, o que não ocorre – elas não “falam” à mesma língua e os ruídos constantes de comunicação entre as mesmas acabam por comprometer a qualidade da educação.
Quando analisamos as definições do MEC acerca do PNE e do PDE...
tracking img