Pedagogia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2372 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A EDUCAÇÃO NAS SOCIEDADES PRIMITIVAS (povos ágrafos)

Baseado no texto: A educação na comunidade primitiva, de Aníbal Ponce (pp. 17-35). In: PONCE, Aníbal. Educação e luta de classes. 19.ed. São Paulo: Cortez, 2001.


A organização social primitiva
As sociedades primitivas, identificadas ordinariamente como pré-históricos, demonstraram a existência de um comunismo tribal como aorigem de todos os povos conhecidos.
O homem das comunidades primitivas acreditava em forças difusas que impregnavam tudo que existia. Sua concepção religiosa era o animismo. Acreditavam que o mundo, mesmo os objetos inanimados, estava habitado por espíritos. Um objeto poderia não ser apenas isto, mas a ‘morada’ de um espírito.
Eram uma coletividade pequena, assentada sobre apropriedade comum da terra e unida por laços de sangue (identificação de uma ascendência, um parentesco comum). Os seus membros eram indivíduos livres, com direitos iguais, sendo chefiados por um conselho formado democraticamente por todos os adultos, homens e mulheres da tribo. O que era produzido em comum era repartido com todos e imediatamente consumido. O pequeno desenvolvimento dos instrumentosde trabalho impedia que se produzisse mais do que o necessário para a vida cotidiana e, portanto, para a acumulação de bens.
Todos trabalhavam para promover o sustento do grupo, mas havia uma divisão de trabalho de acordo com as diferenças entre os sexos e as idades. Mesmo assim, na comunidade primitiva as mulheres e as crianças estavam em pé de igualdade com os homens, além de que nãohavia classes sociais, já que todos ocupavam a mesma posição na produção material do sustento para o grupo.


A educação na sociedade primitiva

Até os 07 anos de idade, as crianças acompanhavam os adultos em todos os seus trabalhos, ajudando-os na medida de suas forças. A sua educação não estava confiada a ninguém em especial, e sim à vigilância de todos. Assim a criança ia, pouco a pouco,se moldando aos padrões do grupo. A convivência diária que mantinha com os adultos, fazia com que desde cedo a criança aprendesse as crenças e as práticas (culturais) do seu grupo.
Após esta idade (07 anos), quando a ocasião exigia, os adultos explicavam às crianças como elas deveriam agir e comportar-se em determinadas circunstâncias. Podemos dizer que a educação nas comunidadesprimitivas era para a vida e por meio da vida: para aprender a manejar um arco, a criança caçava, por exemplo. As crianças se educavam tomando parte nas funções da coletividade.
Não havia mestres determinados para ministrar a educação. Todos os adultos eram responsáveis pela formação da juventude.
As crianças nunca eram castigadas em seu aprendizado. Se por ventura uma mãe, mais impacientecom as travessuras do filho, o castigasse, então o pai castigava a mãe. Mesmo os pais deixando os filhos em completa liberdade, eles cresciam e se tornavam adultos iguais aos outros de sua tribo. Perguntamos: se não existia nenhuma ‘escola’ que imprimisse às crianças uma mentalidade uniforme, como a anarquia da infância se transformava na disciplina do adulto? É que estamos acostumados aidentificar escola com educação. Mas na sociedade primitiva, a educação era uma função espontânea da sociedade em conjunto, assim como a linguagem, os valores e hábitos. Da mesma forma que a criança não precisa ir para a escola a fim de aprender a falar, a criança da comunidade primitiva não precisava ir para a escola para aprender a ser como as gerações anteriores, como todos os adultos de suatribo: ela aprendia pela imitação, pelo exemplo.
A criança nada via ou sentia senão através dos hábitos consagrados pelo grupo. Sua individualidade era parte da coletividade desenvolvida dentro dela. Desde cedo as crianças identificavam-se com os interesses do grupo. Desta feita, a educação primitiva era espontânea e integral. Espontânea na medida em que não existia uma instituição...
tracking img