Para que filosofia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 35 (8572 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
APOSTILA DE PORTUGUÊS
PROFª SIMONE RIZARDI PÓVOAS


Novo Acordo Ortográfico

O Novo Acordo Ortográfico visa simplificar as regras ortográficas da Língua Portuguesa e aumentar o prestígio social da língua no cenário internacional. Sua implementação no Brasil segue os seguintes parâmetros: 2009 – vigência ainda não obrigatória, 2010 a 2012 – adaptação completa dos livros didáticos às novasregras; e a partir de 2013 – vigência obrigatória em todo o território nacional, data que foi prorrogada para 2016. Cabe lembrar que esse “Novo Acordo Ortográfico” já se encontrava assinado desde 1990 por oito países que falam a língua portuguesa, inclusive pelo Brasil, mas só agora é que teve sua implementação.

O que mudou no Novo Acordo Ortográfico


1 Alfabeto


A influência do inglês nonosso idioma agora é oficial. Há muito tempo as letras “k”, “w” e “y” faziam parte do nosso idioma, isto não é nenhuma novidade. Elas já apareciam em unidades de medidas, nomes próprios e palavras importadas do idioma inglês, como:


km – quilômetro,


kg – quilograma


Show, Shakespeare, Byron, Newton, dentre outros.


Trema


Não se usa mais o trema, salvo em nomes próprios eseus derivados.


Acento diferencial


Não é preciso usar o acento diferencial para distinguir:


1. Para (verbo) de para (preposição)


“Esse carro velho para em toda esquina”.


“Estarei voltando para casa daqui a uma hora”.


1. Pela, pelo (verbo pelar) de pela, pelo (preposição + artigo) e pelo (substantivo)
2. Polo (substantivo) de polo (combinação antiga e popular depor e lo).
3. Pera (fruta) de pera (preposição arcaica).


A pronúncia ou categoria gramatical dessas palavras dar-se-á mediante o contexto.


Acento agudo


Ditongos abertos “ei”, “oi”


Não se usa mais acento nos ditongos ABERTOS “ei”, “oi” quando estiverem na penúltima sílaba.


He-roi-co ji-boi-a As-sem-blei-a i-dei-a Pa-ra-noi-co joi-a


OBS. Só vamosacentuar essas letras quando vierem na última sílaba e se o som delas estiver aberto.


Céu véu Dói herói Chapéu beleléu


Rei, dei, comeu, foi (som fechado – sem acento)


Não se recebem mais acento agudo as vogais tônicas “I” e “U” quando forem paroxítonas (penúltima sílaba forte) e precedidas de ditongo.


Fei-u-ra bai-u-ca chei-i-nho sai-i-nhaNão devemos mais acentuar o “U” tônico os verbos dos grupos “GUE/GUI” e “QUE/QUI”. Por isso, esses verbos serão grafados da seguinte maneira:


Averiguo (leia-se a-ve-ri-gu-o, pois o “U” tem som forte)


Arguo apazigue Enxague arguem


Acento Circunflexo


Não se acentuam mais as vogais dobradas “EE” e “OO”.


Creem veem Deem releem Leem descreem Voo perdooenjoo


Outras dicas


Há muito tempo a palavra “coco” – fruto do coqueiro – deixou de ser acentuada. Entretanto, muitos alunos insistem em colocar o acento: “Quero beber água de côco”.


Quem recebe acento é “cocô” – palavra popularmente usada para se referir a excremento.


Para verificar praticamente a necessidade de acentuação gráfica, utilize o critério das oposições:


Imagem(paroxítona) armazém (oxítona)


Paroxítonas terminadas em “EM” não levam acento, mas as oxítonas SIM.


Jovens (paroxítona) provéns (oxítona)


Paroxítonas terminadas em “ENS” não levam acento, mas as oxítonas levam.


Útil (paroxítona) sutil (oxítona)


Paroxítonas terminadas em “L” têm acento, mas as oxítonas não levam porque o “L”, o “R” e o “Z” deixam a sílabaem que se encontram naturalmente forte, não é preciso um acento para reforçar isso.


É por isso que: as palavras “rapaz, coração, Nobel, capataz, pastel, bombom; verbos no infinitivo (terminam em –ar, -er, -ir) doar, prover, consumir são oxítonas e não precisam de acento. Quando terminarem do mesmo jeito e forem paroxítonas, então vão precisar de acento.


USO DO HIFEN


Regra Geral...
tracking img