Numa cabana solitaria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1802 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
NUMA CABANA SOLITÁRIA – A vida de Joseph Conlee (1853-1929)
FIGURA 1
O senhor e a senhora  Conlee eram um casal que amava a Jesus. Eles tiveram uma família numerosa com 12 filhos. Todos eles prometeram aos seus pais que seriam excelentes cidadãos e também seguidores de Jesus. Alguns escolheram a profissão de advocacia, outros a medicina e alguns decidiram ser professores. Mas o Sr. Conlee tinhaa esperança de que o seu filho Joseph, o caçula, fosse ministro do evangelho assim como outros dois dos seus filhos já eram. Para o Sr Conlee não havia nada mais honroso que ser um dedicado pastor, ministro do evangelho. Passados alguns anos Joe, como era chamado o filho caçula, deu ao seu pai a boa noticia que ele tanto esperava. Havia decidido ser ministro do Evangelho! O seu pai deu um forteabraço nele e o enviou a estudar na Universidade de Iowa.
FIGURA 2
Foi durante sua formação universitária que um professor inseriu um veneno mortal em sua fé dizendo: “Joseph, você é um cara esperto,é um dos melhores alunos que já estudou nesta faculdade. Você não acreditará em tudo o que está escrito na Bíblia, não é verdade!? Se você não quer ser enganado e quer ser um pastor moderno tem de lerlivros de pensadores deste tempo. Você não pode deixar se levar por tudo o que esta escrito na Bíblia, deve ter uma mente aberta, quero que leia Darwin, Renan e Huxley e outros filósofos modernos!”
FIGURA 3
Quando Joseph concluiu a faculdade, aceitou o pastorado numa pequena igreja em Iowa e se casou com a filha de um pregador chamada Helen. Logo as palavras daquele professor causaram umabatalha na mente, entre a razão e a fé. Joseph vivia em agonia, lutando contra pensamentos contrários ao poder e veracidade da palavra de Deus. Passados três anos foi convidado a pastorear a primeira igreja Metodista em Santa Ana. Esteve por dois anos naquele lugar, e a cada dia os pensamentos dos filósofos ateus contaminavam a sua fé e o atormentavam, mas aparentemente para os demais ele crescia eavançava nos caminhos do Senhor. Logo se converteu no pastor da primeira igreja Metodista de São Diego, uma das maiores igrejas da costa oeste dos Estados Unidos.
Depois de dois anos de êxito foi para Califórnia e ali, quando já saturado daquela luta em sua mente, disse à sua esposa que se sentia hipócrita porque não acreditava nas coisas que ensinava em sua igreja acerca da Bíblia.
FIGURA 4
Atéque um domingo no culto, Joe disse:
- Amigos, não vou enganá-los mais. Não posso ser pastor, não acredito que a Bíblia seja verdadeira, não acredito nela. Perdoem-me!
A congregação não podia acreditar no que estava ouvindo, todos estavam chocados.
FIGURA 5
Helen quase morreu de agonia. Ela suplicou para o seu marido que buscasse ajuda, que orasse e clamasse ao Senhor, mas ele estava endurecido.Joseph era muito inteligente e logo encontrou um trabalho como escritor num jornal. Foi nesse tempo que começou a beber.
FIGURA 6
Com o passar dos meses, se entregou por completo à bebida. Era costume encontrá-lo numa taberna zombando e maldizendo a Deus. Ele gritava:
-Se existe um Deus, que me mate agora!
E ao continuar vivo zombava…
-Vocês viram!? Ainda continuo vivo! Deus não existe!FIGURA 7
Passados os anos, ele caiu na bancarrota. Tudo o que possuía foi perdido pela bebida. Já não podia trabalhar mais, muitas vezes era achado jogado na sarjeta, semimorto, sujo e inconsciente.
FIGURA 8
Mas, sua esposa e os seus filhos não paravam de clamar ao Senhor por sua vida de dia e noite.
Certo dia, um médico que fora membro da igreja que Joseph pastoreara no passado, o encontroujogado na rua e comovido se dispôs a ajudá-lo, mas todo o seu esforço foi em vão. Joseph voltava a beber e se aproveitava da bondade do médico.
FIGURA 9
Um dia o doutor falou com Helen e disse:
-Helen, a única coisa que resta a fazer pelo Joseph é tirá-lo das más companhias do bar onde ele bebe. Fiquei sabendo que no Alaska precisam de um homem para cuidar de uma cabana. Talvez, na solidão ele...
tracking img