Nada

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (523 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
QUESTÃO 02.
A) No caso em tela Abel incorre no crime de furto qualificado pelo emprego de fraude, nos termos do art. 155, §4º, do Código Penal. Tem-se o crime de furto nocaso em analise, visto ter o agente subtraido coisa móvel alheia. A qualificadora do emprego de fraude decorre do fato de que Abel fez-se passar por manobrista do restaurante como forma de facilitar asubtração do referido objeto do delito. Entede-se por fraude enquanto qualificadora de furto o emprego por parte do agente delituoso de estratagema ardil ou engodo que facilite seu acesso ao bem quedeseja subtrair em contexto onde lhe era possivel a subtração do bem mesmo que não houvesse o emprego da fraude.
No caso em tela o agente usa da fraude para enganar avitima para que a mesma lhe entregue a chave do carro facilitando assim o acesso ao bem que o agente pretende furtar, contudo, o mesmo poderia ter furtado o bem almejado por emprego de outro meio como,por exemplo, o da "ligação direta".
Conforme entedimento do renomado doutrinador Guilherme de Souza Nucci em seu Código Penal Comentado, 11 Ed, pag. 748." Fraude é manobra enganosa, destinada a iludir alguém, configurando, também uma forma de ludibriar a confiança que se estabelece naturalmente nas relações humanas. Assim, o agente quecriar uma situação especial, voltada a gerar na vitima um engano, tendo por objetivo praticar uma subtração de coisa alheia móvel, incide da figura qualificada... fraude implica em um modoparticularizdo de abuso de confiança. Este, por si só, exige uma relação específica de segurança concretizada entre o autor e a vítima, enquanro a fraude requer apenas um plano ardiloso que supere a vigilâciada vítima, fazendo com que deixe seus bens desprotegidos, facilitando a ação criminosa."
Segundo Nucci, a fraude está caracterizada pelo desapego que o proprietário teve...
tracking img