Movimentos sociais rurais no sul do brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5856 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de julho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Interfaces em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade 

Movimentos sociais rurais no sul do Brasil: novas identidades e novas dinâmicas
Everton Lazzaretti Picolotto1
O objetivo deste artigo é analisar o processo de formação de novas identidades gerais entre os movimentos que se articulam na Via Campesina e na Fetraf-Sul e a conseqüente criação de novas dinâmicas sociais no campo. Osmovimentos passaram por diferentes fases em suas trajetórias mantendo certa unidade de ação, porém, a partir de meados dos anos 90, suas estratégias de ação diferenciaram-se e são adotadas “novas” identidades: a Fetraf-Sul adotou a de agricultor familiar e os atores da Via Campesina adotaram a de camponês. Como reflexo destas mudanças, foram motivadas novas dinâmicas sociais no campo. Movimentos sociais;Via Campesina; Fetraf-Sul.

1 Introdução
No decorrer do processo de modernização da agricultura (que visava, entre outras coisas, a especialização das atividades agrícolas e a transferência de trabalhadores para o meio urbano), alguns segmentos sociais do campo promoveram resistência. Em vários locais do Brasil, ainda na década de 70, os pequenos agricultores, os “sem-terra”, os “atingidos porbarragens”, os indígenas, os seringueiros, as mulheres trabalhadoras rurais, entre outras categorias, organizaram-se para lutar contra a ex1

Bacharel em Ciências Sociais (UFSM), Especialista em Educação do Campo e Agricultura Familiar Camponesa, (UFPR), Mestre em Extensão Rural (UFSM) e Doutorando em Ciências Sociais (CPDA/UFRRJ). picolottoae@yahoo.com.br.

Revista IDeAS, v. 1, n. 1, p.60-77, jul.-dez. 2007.

Movimentos sociais rurais no sul do Brasil...

61

propriação de seus meios de produção e encontrar alternativas para a continuação de sua reprodução social. Algumas das ações destes grupos formaram o que se concebe na sociologia como movimentos sociais.2 O surgimento dos movimentos sociais rurais que são foco deste trabalho ocorreu a partir do final dos anos 70 e iníciodos 80 no sul do Brasil. O sindicalismo rural tradicional foi questionado pelas “oposições sindicais” que deram origem a um “novo sindicalismo” que contribuiria na formação da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Importantes setores marginalizados do campo optaram por promover ações “por fora” da institucionalidade estabelecida, questionando o modo de utilização de recursos e propondotransformações sociais. Foram constituídos expressivos movimentos sociais: Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB); Movimento das Mulheres Trabalhadoras Rurais (MMTR); e Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA). A trajetória destes atores sociais inclui uma gama de ações coletivas e de experiências socioeconômicas. Colocaram-se como construtores de umanova ordem contra-hegemônica, estruturaram experiências de viabilização autônoma da sua base social (agricultura alternativa, associações de cooperação, assentamentos etc.) e buscaram interferir na institucionalidade estabelecida visando ampliar os espaços de cidadania e democratizar o Estado (Navarro, 1996; Scherer-Warren, 1996). Apesar da expressividade política que estes movimentos alcançarame das ações que promoveram para gerar alternativas no campo, o êxodo rural continuou em várias regiões do país – principalmente nas regiões de agricultura mais modernizadas (Mueller & Martine, 1997). Acompanhando estes processos e visando obter maior alcance às suas ações ao final dos anos 90, os atores sociais citados optaram por formar novas organizações representativas. Formaram a Fetraf-Sul(Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul), que articula o sindicalismo cutistas na região sul e a seção brasileira da Via CampesiOpera-se o conceito de movimento social com base em Touraine e Castells. Um movimento social para Touraine é “o ator de um conflito, agindo com outros atores organizados, que lutam pelo uso social dos recursos culturais e materiais” (Touraine,...
tracking img