Mortalidade infantil em portugal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3694 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de dezembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Escola Nacional de Saúde Pública
Universidade Nova de Lisboa

Portfólio

Redução da Mortalidade Infantil em Portugal

Curso: MGS 2011/2013Módulo: Introdução à Saúde PúblicaDocentes: Profª Isabel Loureiro Dr. Adalberto Fernandes Drª Celeste Gonçalves Dr. Francisco George Dr. Saboga Nunes Dr. VitorRamosDiscente: Mário Rodrigues |

Lisboa, 19 de Dezembro de 2011

ÍNDICE

1. INTRODUÇÃO 2
2. CONCEITOS 3
3. ALGUNS ASPECTOS HISTÓRICOS DA MORTALIDADE INFANTIL EM PORTUGAL 4
4. A MORTALIDADE INFANTIL 8
4.1 No Mundo 8
4.2 Na EU-27 e em Portugal 9
4.3 Plano Nacional de Saúde (PNS) 12
5. CONCLUSÃO 14
6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 15

ÍNDICE DE QUADROS
Quadro 1 - Evolução dataxa de mortalidade infantil, por região (local de residência da mãe) 13
*
ÍNDICE DE GRÁFICOS
Gráfico 1 – Taxa de Mortalidade Infantil em Portugal de 1960 a 2010. Fonte: PORDATA (2011). 8
Gráfico 2 - Número de mortes de crianças menores de um ano de idade por 1000 nascidos vivos no mesmo ano. Fonte:  CIA (211). 10
Gráfico 3 - Taxa de mortalidade infantil nos países da EU-27 (2010). 11Gráfico 4 - Evolução da taxa de mortalidade infantil (1998-2010) na EU-27 e em Portugal. 12

*
INTRODUÇÃO

“Saúde Pública é a ciência e a arte de promover saúde (…) com base no entendimento de que a saúde é um processo que envolve o bem-estar social, mental, espiritual e físico. A Saúde Pública intervém com base no conhecimento de que a saúde é um recurso fundamental do indivíduo, dacomunidade e da sociedade como um todo e que deve ser sustentada por um forte investimento nas condições de vida que criam, mantêm e protegem a saúde ”, (Kickbuch, 1989)

O presente portfólio foi desenvolvido no âmbito da unidade curricular de Introdução à Saúde Pública do VII Mestrado de Gestão em Saúde. Foram propostos vários temas, tendo sido a temática da Mortalidade Infantil em Portugal que mesuscitou um especial interesse, por várias razões. Em primeiro lugar porque a Mortalidade Infantil permite de certa forma avaliar a qualidade dos cuidados de saúde, bem como o bem-estar e desenvolvimento de um país. Em segundo lugar é importante reflectir sobre o que foi feito (bom e mau) até aqui e o que será necessário melhorar no futuro, tendo em conta a grave crise económica que o paísatravessa e as limitações que daí podem advir.

Numa primeira abordagem serão mencionados alguns conceitos relacionados com o tema em estudo. Seguidamente serão apresentados alguns aspectos históricos da mortalidade em Portugal, a evolução da mortalidade infantil em Portugal, sendo também apresentados alguns dados da União europeia e do mundo; uma breve análise do PNS 2004-2010 e finalmente uma breveconclusão.

*
CONCEITOS

A mortalidade infantil refere-se à ocorrência de óbitos de crianças antes de completarem o primeiro ano de vida (George, 2011). É a base para se calcular a taxa de mortalidade infantil, que consiste na mortalidade infantil, observada durante um determinado período de tempo, normalmente ano civil, referida ao número de nascimentos vivos, nesse mesmo período. Amortalidade infantil pode ser agrupada de acordo com a sua causalidade: causas endógenas (deformações congénitas, traumatismos provocados pelo parto) e causas exógenas (subalimentação, doenças infecciosas, acidentes, cuidados de saúde insuficientes).

Existem ainda outras medidas que nos permitem avaliar de forma mais pormenorizada a mortalidade infantil tais como:

* Taxa de MortalidadeNeonatal Precoce (TMNP) = número de óbitos de crianças com menos de 7 dias/ total de nados vivos;
* Taxa de Mortalidade Neonatal (TMN) = número de óbitos de crianças com menos de 28 dias / total de nados vivos;
* Taxa de Mortalidade Neonatal Tardia (MNT) = número de óbitos de crianças entre 7 e 27 dias/ total de nados vivos;
* Taxa de Mortalidade Pós-Neonatal (TMPN) = número de óbitos de...
tracking img