Medisupply

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3096 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
2011
14 Dezembro 2011
MEEC - Sistemas e
Planeamento Industrial
Logística
Daniela Peixoto 1070699
Francisco Pacheco 1070224
Cláudia Cardoso 1110864

[MEDISUPPLY]

Índice
Análise da Situação

3

Resolução Proposta

6

Previsão da Procura

7

Gestão de Stocks

8

Conclusões

12

2

Análise da Situação
A Medisupply foi adquirida por uma empresa multinacional comforte interesse
no mercado de equipamento médico e cirúrgico. O novo dono da empresa detectou que
a política de gestão de stock desta é incorrecta, o controlo do inventário inadequado e o
mais importante é excessivamente dispendiosa.
A lista total de produtos da empresa é composta por 20.000 produtos fornecidos
por 300 fábricas Europeias. Cerca de 5.000 destes produtos foram mantidos em stock.Desta lista 35% das vendas correspondem a suturas, 20% a luvas, 9% seringas e agulhas
e 6% batas. Estes produtos foram classificados individualmente pela frequência e
pedidos recentes em quatro escalões: A – produtos pedidos com bastante frequência
pelo menos 24 vezes nos últimos três meses; B – produtos pedidos com média
frequência, pelo menos 6 vezes e menos 24 vezes; C – produtos pedidoscom pouca
frequência, menos de 6 vezes e Z – sem pedidos nos últimos três meses. O número de
produtos presentes na categoria A eram de 752, na categoria B eram 687 e na categoria
C 1240. Os produtos da categoria A correspondem a 63% do valor total das vendas.

Figura 1 – Total de vendas dos últimos dois anos – 10 produtos mais vendidos.

Foram recolhidos os dados de um armazémcorrespondentes aos 10 produtos que
mais contribuíram para as vendas nos últimos 24 meses, Figura 1. No ano anterior, estes
produtos contribuíram para 11,1% do valor total do rendimento. Estes dados
3

providenciam o impacto das diferentes políticas e por extrapolação estimam o impacto
nos custos e nas necessidades.
O método actualmente utilizado pela empresa consiste no cálculo do ponto de
encomendaque relaciona a estimativa da procura no tempo de entrega com a diferença
entre a média da procura e o segundo maior pico da procura identificado. Para este
cálculo são apenas considerados os últimos seis meses.

Em que D corresponde à média da procura, Dh ao segundo maior pico da
procura e L à média do tempo de entrega. A quantidade a encomendar corresponde a um
mês de procura baseado namédia de vendas dos últimos seis meses.
Esta política de encomenda foi severamente criticada. O número de unidades a
encomendar foi alvo de críticas, porque não foi executada uma análise independente
para cada produto, tendo sido considerados na análise como um único produto. Esta
situação poderá levar a uma acumulação desnecessária de stock.
A taxa de penúria dos produtos situa-se geralmenteabaixo de 1%, excepto para
quatro produtos. Esta taxa foi considerada aceitável para entregas com alguns dias de
atraso.
A razão do proveito das vendas é de 1,7%. Considera-se que o custo de manter
uma unidade em stock é inferior ao valor que se perde quando essa unidade não está
disponível para venda. Considerando o custo de manuseamento do stock a margem de
proveito aumenta 5,1%.
Aconclusão principal acerca das políticas existentes foi a de que os níveis de
stock têm de ser aumentados de modo a melhorarem o serviço oferecido pela empresa.
Uma análise dos custos administrativos totais relativos aos pedidos, à verificação
dos mesmos, consultas e pagamentos ascende a um montante de 25£ por cada
encomenda. Um estudo de tempo e de recursos associados a uma pequena amostra deencomendas (50) manuseadas numa semana apontou um custo total associado de 25£,
em que 17£ é um valor constante, independente do tamanho da encomenda.
O cálculo dos custos, a longo prazo, de manutenção do armazém inclui a
depreciação de parte do armazém e parte do espaço do escritório. Apenas 80% do
armazém e 20% do espaço do escritório são utilizados para manuseamento das
encomendas, enquanto o...
tracking img