Mal de parkinson

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3728 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI
CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
CURSO DE MEDICINA

MAL DE PARKINSON

LEANDRO STADLER KOSLOVSKI
MARCOS QUEIROZ

Itajai (SC), 2012

LEANDRO STADLER KOSLOVSKI
MARCOS QUEIROZ

MAL DE PARKINSON

Professores: Alisson Dante Steil, EmersonAlexandre Sgrott, Rafael Saviolo Moreira.



Itajai (SC), 2012

SUMÁRIO


1 INTRODUÇÃO …………………………….……………………………………… 1.1 Histórico 1.2 Aspectos Gerais | 04 |
| |
2 DESENVOLVIMENTO ……………………………………………………………….2.1 O sistema dopaminérgico 2.2 Conexões dos núcleos dopaminérgicos mesencefálicos2.3 Fisiopatologia2.4 Sintomas não-motores2.5 Tratamento farmacológico | 07 |
| |
3CONCLUSÃO................................................................................................ 14 | |
| |
4 REFERÊNCIAS……………………………………………………………….. …..16 | |

1 INTRODUÇÃO

1.1 Histórico

O médico inglês James Parkinson nasceu em Londres, em 11 de abril de 1755 e faleceu em 21 de dezembro de 1824. Seu pai também foi médico, influenciando de maneira bastante significativa aescolha do filho pela medicina. Antes de ser médico, James Parkinson era um humanista, dotado de espírito crítico e senso de observação da natureza. Por conta disso, foi o fundador da Sociedade de Geologia de Londres, refletindo seus interesses pela natureza e pela paleontologia. Muito antes da publicação de seus achados sobre a doença que levaria o seu nome, Parkinson publicou um verdadeirotratado sobre paleontologia.
Parkinson viveu em pleno movimento iluminista. Em relação à sociedade, Parkinson brigou por maior representatividade política da população e pelo voto universal, integrando sociedades políticas secretas.
Esse homem, em 1817, aos 62 anos de idade, publicou o ensaio que descreveu de maneira bastante precisa e quase irretocável a doença que hoje leva o seu nome. Foramdescritos os casos de seis pacientes, todos do sexo masculino, com idades entre 50 e 72 anos. Somente um desses pacientes não foi examinado pelo próprio James Parkinson, sendo observado à distância. Curioso como a extraordinária capacidade de observação aqui mais uma vez se refletiria. Dois dos pacientes descritos foram encontrados “casualmente” na rua. Parkinson citou a presença de tremor involuntário,o arqueamento do tronco para frente e a alteração da marcha, entre outras características.
Foi somente por volta de 1875 que o brilhante neurologista francês Jean Martin Charcot (considerado o “pai da neurologia”) sugeriu o nome de “doença de Parkinson”, reconhecendo o mérito daquele que tão bem havia descrito a doença. Charcot também contribui de maneira memorável para melhor definição econhecimento da doença.

1.2 Aspectos gerais

A doença de Parkinson (DP) é uma desordem neurológica relacionada a processo degenerativo que atinge de modo predominante a via dopaminérgica nigroestriatal. Habitualmente cursa com um conjunto de sinais e sintomas que constituem a síndrome parkinsoniana. Esta pode ser encontrada com sintomatologia parcial ou completa em vários quadros clínicos,distinguindo-se a DP idiopática e os quadros de parkinsonismo.
O diagnóstico da DP nem sempre é fácil, principalmente em fases iniciais da doença e isso é confirmado por estudos pós-morte que revelam que o índice de acerto do diagnóstico é em torno de 75%, sendo os outros 25% casos de parkinsonismo. (Hughes et AL., 1992; Stacy e Jankovic, 1992). A DP corresponde a um dos mais frequentesproblemas neurológicos. A sua prevalência é em torno de 1 a 2/1000 da população geral e de 2/100 entre pessoas com mais de 65 anos de idade, já a incidência é de cerca de 12/100.000/ano (Tanner, 1992).
Os sinais clássicos da doença são motores e incluem tremor de repouso, rigidez muscular, acinesia/bradicinesia e anormalidades posturais. Individualmente, cada um desses achados não é...
tracking img