Liquens

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1283 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
LÍQUENS (FUNGOS LlQUENIZADOS)


ASSOCIAÇÃO SIMBIÓTICA ENTRE UM FUNGO E UM MICRORGANISMO FOTOSSINTETIZANTE.


1. MORFOLOGIA

1.1. Micobionte (N=1)
1.1.1. Ascomycota (grande maioria)
1.1.2. Basidiomycota (poucos)
1.2. Fotobionte (N=1 ; raramente N=2)
1.2.1. Chlorophyta (alga verde)
1.2.2. Cyanobacteria
1.3. Diferenciação de camadas de tecidos
1.3.1. Líquens Homômeros
1.3.2.Líquens Heterômeros
1.3.2.1. Córtex Superior
1.3.2.2. Camada Gonidial
1.3.2.3. Medula
1.3.2.4. Córtex Inferior
1.3.2.4.1. Estruturas de Fixação
1.3.2.4.1.1. Rizinas
1.3.2.4.2. Estruturas de aeração
1.3.2.4.2.1. Cifelas
1.3.2.4.2.1. Pseudocifelas
1.3.2.4.3. Cefalódios (tanto ecto como endotróficos)
1.3.2.5. Tipos morfológicos
1.3.2.5.1. Crustáceos
1.3.2.5.2.Foliáceos
1.3.2.5.3. Arbustivos ou Fruticosos

2. REPRODUÇÃO

2.1. Direta
2.1.1. Sorédios
2.1.2. Isídios
2.2. Indireta
2.2.1. Fotobionte
2.2.1.1. Multiplicação (Divisão Celular)
2.2.1. Micobionte
2.2.1.1. Corpos de Frutificação
2.2.1.1.1. Ascoma (principalmente)
2.2.1.1.1. Basidioma

3. ECOLOGIA E BIOGEOGRAFIA

3.1. Tipo de associação simbiótica
3.1.1.Não-mutualista3.1.1.1. Fotobionte (não-obrigatória)
3.1.1.2. Micobionte (obrigatória)
3.2. Função Ecológica
3.2.1. Produtores
3.2.2. Principais produtores primários (Tundra)
3.3. Distribuição
3.3.1. Biomas Terrestres
3.3.1.1. Colonizadores pioneiros (Ambientes Saxícolas)

4. IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

4.1. Aspectos Negativos
4.1.1. Bioerosão de materiais (principalmente rochosos)
4.1.2. Altograu de epifitismo foliar ou cortical
4.2. Aspectos Positivos
4.2.1. Metabólitos Secundários
4.2.1.1. Ácidos liquênicos
4.2.1.1.1. Atividade antibiótica e citotóxica
4.2.2. Bioindicação e Biomonitoramento do ar atmosférico

5. SISTEMÁTICA

5.1. Morfologia e Bioquímica de ácidos liquênicos dos micobiontes


O líquen é uma associação simbiótica entre um fungo e um microrganismofotossintetizante. O componente fúngico de um líquen (o micobionte) é, na grande maioria, dos casos um fungo do Filo Ascomycotina e, mais raramente, Basidiomycota. O componente fotossintetizante (fotobionte, também chamado de ficobionte em alusão à alga) é, em geral, uma Chlorophyta ou uma cianobactéria (ou, muito raramente, uma bactéria autotrófica). O líquen é portanto uma associação geralmentede dois componentes- o heterótrofo (sempre em número de um) e o fotoautótrofo (geralmente em número de um, e ocasionalmente dois ou até mais. Por muito tempo acreditou-se, sem duvidar, que se tratava de uma associação mutualística de modo que os componentes liquênicos não poderiam viver separadamente e que havia troca de benefícios mútuos. O fotobionte fornece à associação produtos da fotossíntesee, no caso, de ser uma cianobactéria, fornece também nitrogênio. Os benefícios recebidos pelo fotobionte e proporcionados pelo micobionte são menos óbvios, mas pode incluir proteção a dessecação, radiação excessiva manutenção de uma alta pressão parcial de dióxido de carbono (em virtude da atividade respiratória) e a fixação e provisão de nutrientes minerais retirados do substrato. Os fotobiontesda associação liquênica também ocorrem isoladamente na natureza, o que não ocorre com os micobiontes, indicando que a associação é muito mais benéfica para o micobionte do que para o fotobionte, o que contradiz com a definição formal de mutualismo simbiótico. De qualquer modo, quando estão habitando ambientes extremos (são populações pioneiras de variados habitats), a chance de sobrevivência sóexiste quando estão associados.
Os diversos líquens, embora sejam classificados como espécies baseando-se principalmente nas estruturas reprodutivas do micobionte, não poderiam ser considerados como tais uma vez que se tratam de uma associação de espécies diferentes. Quanto à morfologia internal os líquens podem ser homômeros (se não há uma nítida diferenciação em camadas de tecidos) ou...
tracking img