Lingua portuguesa como segunda lingua

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3040 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O ensino da
Língua
Portuguesa
como segunda
língua para
surdos

[ Língua Portuguesa como segunda língua para surdos ]

Uníntese | UnínteseVirtual

Pedro Stieler
Diretor Presidente

Mara Regina Escobar
Diretora Vice-Presidente

Maria Bernardete Bechler
Diretora Pedagógica

Cristiane da Silva Evangelista
Diretora de Administração e Finanças

Carmem Regina dos Santos FerreiraDiretora de Marketing

O ensino da Língua Portuguesa
como segunda língua para
surdos
Diretos Autorais reservados à
UNÍNTESE

Pedro Stieler
Coordenação Geral

Maria Bernardete Bechler
Coordenação Pedagógica

Tatiane da Silva Campos
Texto

Vanessa Immich
Design Instrucional

Rosane Stieler
Administrativo-Operacional

Maria Denise Uggeri (Pedagógico)
Marla Hilgert(Pedagógico)
Willian Dourado Teixeira (Tecnologia)
Equipe Técnica | Produção

UNÍNTESE

EXPEDIENTE

Página 2 de 10

[ Língua Portuguesa como segunda língua para surdos ]

Língua Portuguesa
como segunda
língua para surdos

Página 3 de 10

O ensino da Língua Portuguesa como
segunda língua para surdos

Tatiane da Silva Campos1

O fato de convivermos numa sociedade em que o uso da
línguaportuguesa falada e escrita é predominante, o “ensino da
língua portuguesa escrita para surdos” poderia ser entendido
como algo natural, facilitado pela vivência familiar do surdo, por
ser uma língua presente em seu contexto social desde a
infância. Supõe-se, também, que a partir dessa convivência com
a língua, o percurso escolar dos surdos culminaria em êxito,
contribuindo para a suainclusão, tornando-os parte de um
sistema social.

1

Professora Especialista em Tradução, Interpretação e Docência da Língua Brasileira de Sinais
pela UNÍNTESE e UTP – Universidade Tuiuti do Paraná. Licenciada em Letras, pela
Universidade Anhanguera Uniderp e Tradutora/Intérprete de LIBRAS.

UNÍNTESE

Parte I

Contudo, como a surdez impede que a criança surda
incorpore um sistemalinguístico oral/auditivo, ela não consegue
dar significado para a língua, mesmo em contato com ela, o que
vai tornar mais difícil o processo de aquisição da língua
portuguesa escrita, ao entrar na escola. Isso explica porque a
simples menção dessa palavra desperta, para a maioria dos
surdos, a sensação de algo penoso, frustrante, sendo eles
estudantes ou não.
Para crianças ouvintes, o simplescontato com a língua
oral permite que elas interiorizem uma estrutura sintática2 e um
vocabulário dotado de significados que passam a ser
empregadas na construção dos diálogos e nas mais diversas
situações de comunicação falada. Esse uso da língua falada
facilita o processo de alfabetização com o domínio da escrita,
contribuindo para toda a aprendizagem da criança.
As crianças surdas em idadeescolar têm direito ao
acesso à escola com professores qualificados para recebê-las,
assim como acontece com alunos ouvintes. O desconhecimento
por parte dos professores de como a criança surda aprende a
língua portuguesa acarreta em enormes problemas:
primeiramente, o aluno não consegue entender os conteúdos no
seu todo, lacunas no entendimento, na comunicação e na
aprendizagem estárelegada, em muitos casos, à mera
repetição de palavras e sons destituídos de significados. A
escola poderá ser frustrante, uma vez que não responde às
expectativas de aprendizagem e de desenvolvimento do aluno
surdo, contribuindo para que ele se sinta como um estrangeiro
em seu próprio país. Por outro lado, o professor sente -se
angustiado por não conseguir estabelecer uma comunicação
linguísticaeficaz para a construção dos conhecimentos
2

Estrutura sintática refere-se a forma de se organizar uma ideia compreensível através dos
vocábulos de uma língua e utilizá-la para uma comunicação oral ou escrita, considerando um
conjunto de regras que formam o sistema lingüístico.

Página 4 de 10

necessários às etapas da escolarização, seja na alfabetização,
no letramento ou nas...
tracking img