Libras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 33 (8152 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina
Unidade São José – Coordenadoria de Cultura Geral
Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação de Surdos

APRENDENDO LÍNGUA BRASILEIRA DE
SINAIS COMO SEGUNDA LÍNGUA

NÍVEL BÁSICO

1

REALIZAÇÃO
Luiz Inácio Lula da Silva
Presidente da República
Fernando Haddad
Ministro da Educação
Eliezer Pacheco
Secretário da EducaçãoProfissional e Tecnológica
SETEC-MEC

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA
CATARINA – CEFET/SC
Consuelo Aparecida Sielski Santos
Diretora Geral
Regina Rogério
Vice-Diretora Geral
Nilva Schroeder
Diretora de Ensino
Rosangela Mauzer Casarotto
Diretora de Administração e Planejamento
Marcelo Carlos da Silva
Diretor de Relações Externas
Maria Clara Schneider
Diretora dePós-Graduação e Pesquisa
Wilson Zapellini
Diretor de Gestão do Conhecimento

CEFET/SC UNIDADE SÃO JOSÉ
Jorge Pereira
Diretor da Unidade São José
Maria Lúcia de Souza Cidade
Coordenadora de Cultura Geral

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO DE SURDOS NEPES
Vilmar Silva
Coordenador do NEPES
Kelly Machado Pinho da Rosa e Simone Gonçalves Lima da Silva
Arte Final

Sérgio Barbosa JúniorIlustrações Originais
Mara Lúcia Masutti
Revisão gramatical

2

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA –
CEFET/SC
NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO DE SURDOS – NEPES

APRENDENDO LIBRAS COMO SEGUNDA
LÍNGUA
NÍVEL BÁSICO

CADERNO PEDAGÓGICO I
CURSO DE LIBRAS

Fábio Irineu da Silva
Flaviane Reis
Paulo Roberto Gauto
Simone Gonçalves de Lima da Silva
UésleiPaterno

SANTA CATARINA, 2007

3

APRESENTAÇÃO

O “curso de Libras” desenvolvido pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas
em Educação de Surdos – NEPES do Centro Federal de Educação Tecnológica
de Santa Catarina – CEFET/SC pretende ser um meio difusor da Língua e da
cultura do povo surdo. Almejamos oferecer um suporte intelectual para quem
desejar conhecer e se aprofundar no idioma dos surdosbrasileiros, ou seja, na
Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS.
O NEPES vem realizando estudos e pesquisas em Educação de Surdos
desde 1994, experiência que envolve tanto aspectos políticos, culturais e
pedagógicos como as metodologias de ensino nos diversos níveis de
escolarização. Hoje, o NEPES mantém um curso de Pós-graduação lato sensu em
Educação de Surdos, um curso de Ensino de Jovens eAdultos surdos – EJA
Bilíngüe, tendo formado em setembro de 2006 uma turma de Ensino Médio
Bilíngüe. Além dos diversos cursos profissionalizantes e básico de Libras para
alunos, funcionários, docentes e famílias de surdos. Para saber mais sobre o
trabalho do NEPES visite www.sj.cefetsc.edu.br/~nepes.
A Língua Brasileira de Sinais é uma língua que tem ganhado espaço na
sociedade por conta dosmovimentos surdos em prol de seus direitos, é uma
luta de muitos anos que caracteriza o povo surdo como um povo com cultura e
língua própria que sofre a opressão da sociedade majoritária impondo um
padrão de cidadão sem levar em conta as especificidades de cada um destes
cidadãos. Sendo assim, através de anos de luta o povo surdo conquistou o
direito1 de usar uma língua que possibilitassenão só a comunicação, mas
também sua efetiva participação na sociedade.
No entanto, para que esta participação seja efetiva é preciso difundir a
língua, a cultura e a concepção de mundo dos surdos. E para isso o Núcleo de
Estudos e Pesquisas em Educação de Surdos – NEPES elaborou este material
Lei Federal n.º 10.436/2002 (LEI ORDINÁRIA) 24/04/2002 que Dispõe sobre a Língua
Brasileira de Sinais- Libras e dá outras providências.
Decreto n.º 5.626/2005 regulamenta a lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a
língua brasileira de sinais - libras, e o art. 18 da lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000.

1

4

com conteúdos fundamentais para aprendizagem deste segundo idioma. O
material se constitui em etapas de aprendizagem, informações interessantes
com o...
tracking img