Leibniz

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1249 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Leibniz, conhecido como o filósofo da conciliação, cria um projeto de filosofia moderna que visa resolver alguns problemas da própria modernidade. Entre eles uma questão muito presente no pensamento cartesiano, a relação entre a alma e o corpo, ela é retomada por Leibniz e será abordada de um modo diferente apresentado por Descartes. Através de um Deus que age sempre da melhor maneira possível,fundado em uma relação de causalidade, presentes nas substâncias individuais, resultando em um comércio de substâncias.
O Deus leibniziano se apresenta como um ser absolutamente perfeito. Deus possui em grau máximo o poder e a ciência, desse modo suas ações sempre visam a mais perfeita situação, seja no âmbito moral ou metafísico, as ações divinas serão sempre a melhor situação possível quepoderia se dar presente no mundo. Leibniz trabalha com uma regra de bondade que se apresenta da seguinte maneira: as coisas criadas por Deus serão sempre boas, já que Deus sendo a suma bondade, todas as suas ações resultarão em coisas boas, é intrínseco a ele fazer coisas boas e não é através da vontade que Deus procura ser bom, esse tipo de ação é a única maneira que Deus age, sempre visando a melhorcoisa possível.
Eis que surge a ideia desse ser o melhor dos mundos possíveis. Deus não é guiado por sua vontade, suas escolhas sempre serão as mais perfeitas possíveis e nada o motiva a escolher por uma razão de vontade, ele se baseia na melhor possibilidade possível, o mundo escolhido por Deus possui a maior quantidade de bondade jamais existente. É de seu feitio ser bom com todas as coisaspresentes no mundo, ele não visa prejudicar e sim somente fazer coisas boas nesse mundo. É importante ressaltar que apesar de algumas ações se apresentarem como ruins é devido a nossa limitação e incapacidade de entendimento do plano divino. Deus só pode realizar coisas boas, de tal modo que no plano geral até uma situação ruim irá se tornar boa, faz parte da ordem do universo divino e só não nos épossível esse completo entendimento por não compreendermos a infinitude divina.
A Mônada ou substância individual citada por Leibiniz: “É correto, quando se atribui grande número de predicados a um mesmo sujeito e este não é atribuído a nenhum outro, chamá-lo substância individual. Isto, porém, não é suficiente, e tal explicação é apenas nominal.”¹, é o fruto dessa correspondência entre os diversospredicados e um sujeito se torna necessário a existência da chamada substância individual. Mas isso não é uma definição suficiente para o autor, é preciso entender a própria Mônada e como ela está ligada ao intelecto divino. Deus conhece todos os predicados das Mônadas, e não serão só alguns predicados que irão definir o sujeito, mas é a validade de todos que garante a existência desse sujeito esua realidade como substância individual, elas se apresentam independentes de tudo a não ser de Deus, possuidor do entendimento perfeito.
Deus conhecedor de todos os predicados de uma Mônada, reconhece os vestígios presentes na alma de cada um, Leibniz trabalha com o exemplo de Alexandre Magno, e explica que Alexandre não foi rei, vencedor de Dário e Poro, e até se sua morte foi natural ou não,nenhuma dessas ações se deu por acidentes, todos os predicados se apresentam de maneira a priori da própria existência, e Deus é o único capaz de conhecer esses vestígios de alma e ter conhecimento do que aconteceu, acontece e ainda vá acontecer, e isso abarca todas conexões no universo.
Essas interconexões geram uma noção de harmonia entre Deus e as Mônadas. Cada Mônada reflete o ser divino e seapresenta como um universo singular. Todas elas dão início a inúmeros mundos singulares, espelhados em Deus, dando continuidade à perfeição divina, trazem também o caráter da sabedoria e onipotência divina. Através dessa expressão exercida pelas Mônadas, elas se tornam capazes de exercer, embora confusamente, todas as ações do universo, no passado, presente ou futuro, se provam semelhantes ao...
tracking img