Jurgen habermas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3262 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1. Habermas - Biografia e obras
Jurgen Habermas, filósofo alemão contemporâneo, nasceu em 1929 em Dusseldorf. Fez seus estudos universitários em Gottingen, Zurich e Bonn. É o principal estudioso da segunda geração da Escola de Frankfurt, um grupo de filósofos, críticos culturais e cientistas sociais associados com o Instituto de Pesquisa Social, fundado em Frankfurt em 1929. As figurascomumente associadas com a escola são Horkheimer, Adorno, Marcuse, Fromm e Habermas. Ele era um estudante de Adorno e se tornou seu assistente em 1956.
Aos 31 anos, Habermas passou a lecionar filosofia em Heidelberg e, em 1961, publicou a famosa obra "Entre a Filosofia e a Ciência - O Marxismo como Crítica", inserida em "O estudante e a Política".
Habermas passou, então, a lecionar filosofia esociologia na Universidade de Frankfurt. Entre as obras e os artigos publicados na década de 1960, destacam-se: "Evolução Estrutural da Vida Pública", "Teoria e Práxis", "Lógica das Ciências Sociais", "Técnica e Ciência como Ideologia" e Conhecimento e Interesse".
Mudou-se para Nova York em 1968 e tornou-se professor da New York School for Social Research. Em 1972, transferiu-se para Starnberg, assumindoa direção do Instituto Max-Planck e, em 1983, voltou a lecionar na Universidade de Frankfurt.
Em 1994, Habermas aposentou-se, sem nunca deixar de contribuir para com o conhecimento por meio de palestras e de uma vasta obra publicada. O principal eixo das discussões do filósofo é a crítica ao tecnicismo e ao cientificismo que, a seu ver, reduziam todo o conhecimento humano ao domínio da técnica emodelo das ciências empíricas, limitando o campo de atuação da razão humana ao conhecimento objetivo e prático.
Suas obras abordam temas da epistemologia, da política, da ética e da comunicação. Licenciou-se em 1954, com um trabalho sobre Schelling (1775-1854), intitulado O Absoluto e a História. Entre suas obras principais, encontram-se: Entre a Filosofia e a Ciência - O Marxismo como Crítica(1960); Reflexões Sobre o Conceito.

2. Habermas e a Escola de Frankfurt
A Escola de Frankfurt é tratada como uma escola contemporânea que foi decisiva para o desenvolvimento dos estudos em comunicação. Marcuse e Adorno, teóricos da escola, eram chamados simplesmente de teóricos da comunicação. O conceito do termo comunicação é contraditório, pois ele se apoia na razão e acaba por promover adesrazão. O que acontece é que ela se transforma na racionalização da dominação social e na coisificação do homem.
Horkheimer, Marcuse, Adorno & Cia trabalharam com o conceito de indústria cultural, que engloba os meios de comunicação. O conceito está ligado ao desenvolvimento do capitalismo que gera uma transformação da cultura em mercadoria. Eles veem a comunicação como algo que separa aspessoas e aumenta a distância entre elas e as coisas e entre elas próprias.
Jürgen Habermas rompe com esse pensamento ao reconstruir a teoria crítica da sociedade tomando como base os conceitos de comunidade ideal de comunicação e de razão comunicativa. Ele faz pare da chamada Segunda Geração da Escola de Frankfurt. Para Habermas, a comunicação pode reconstruir racionalmente os fundamentos da vidasocial, superar o negativismo da primeira geração frankfurtiana e construir uma nova teoria da sociedade.
A razão comunicativa é intersubjetiva, ou seja, se constitui da interação entre os homens, não é como a razão instrumental presa à subjetividade. Com essa diferença, reabilita-se a ideia da realização humana e acaba-se com a contrariedade do conceito de comunicação.
Essa conclusão éresultado da reflexão que Habermas faz em seu clássico “Mudança Estrutural da Esfera Pública”, de 1962. Nele, ele faz uma análise histórica dos problemas da esfera pública moderna dando ênfase ao papel dos meios de comunicação no processo de decadência social. O motivo desse, entre outros fatores, decorreu da manipulação dos meios pelo capital.

3. A Crítica de Habermas ao Cientificismo...
tracking img