Julia kristeva – historia da linguagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (383 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Julia Kristeva – Historia da linguagem

A linguagem na Historia
Esta obra é para quem pretende se iniciar nos domínios da Semiótica e da Linguística. O livro traça a história das sociedadesprimitivas às contemporâneas, abordando as diversas concepções de linguagem até às modernas descobertas que permitiram à linguística se constituir como ciência.
Nele, é possível ver até que ponto essesistema de signos convencionais a que chamamos língua, fala ou discurso, e que constitui a mais específica particularidade da espécie humana, é complexo nas suas origens e na sua função.

Origens daLinguagem
A linguística não tenta estabelecer como a linguagem apareceu, mas desde quando o homem fala. Os investigadores da pré-história da linguagem estão se dedicando ao estudo das mais antigasetapas de escrita conhecidas, a fim de que elas permitam hipóteses sobre estágios anteriores, dos quais ainda não tomamos conhecimento. A linguística comparada pode deduzir certas leis linguísticas quenos permitem reconstruir o passado longíquo da linguagem.
A partir de estudo dos escritos podemos fazer deduções referentes não apenas à vida linguística, mas à vida social dos povos. Os fenômenossociais podem ser assimilados à linguagem, e a partir do funcionamento linguístico podemos ter acesso às leis do sistema social.
Os estudos da estrutura específica do sistema linguístico propiciaram aconstrução de uma teoria a respeito do relativismo linguístico.

Antropologia e Linguística
A antropologia e a linguística estudam as línguas e as teorias linguísticas nas sociedades primitivas, afim de elaborar um quadro dos diferentes modos de representação que acompanharam a prática linguística. Franz Boas é o principal responsável pelas formulações mais significativas nesse domínio.
Nassociedades primitivas a linguagem é uma substância e uma força material. O homem primitivo não consegue distinguir matéria de espírito, real de linguagem, e ainda menos significante de significado:...
tracking img