Jornal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1999 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Caderno A – Cidades

Subtipo da gripe A, o vírus H3N2 atinge crianças e idosos em Campinas

Confirmado em julho primeiro caso da variação em idoso de 68 anos morreu após contrair o vírus.

Além do vírus H1N1, casos de H3N2, um subtipo da gripe A que atinge principalmente as crianças até 2 anos e os idosos, estão sendo observados em Campinas. Dos127 casos de síndrome respiratória aguda registrados na cidade este ano, 14 foram confirmados como o H1N1 e seis como outros subtipos. No mês passado foi registrado o caso de um homem de 68 anos que morreu após contrair o vírus H3N2. Estão sendo analisados outros 34 exames pelo Instituto Adolfo Lutz.

Na semana passada, a Vigilância Sanitária confirmou a primeira morte do ano causada pelo vírusH1N1, conhecido pela gripe A. A vítima foi uma criança de 1 ano, que estava internada desde junho. De acordo com o infectologista Dr. Rodrigo Angerami, o H3N2 também apresenta riscos.

Entenda a diferença entre os vírus
Cada tipo de gripe é nomeado de acordo com a combinação e quantidade de proteínas que ele apresenta. A gripe causada pelo H1N1 é um tipo derivada do vírus influenza, causadorda gripe e apresenta as variações A, B e C, que podem sofrer mutações, transformações nas estruturas genéticas, e são altamente transmissíveis. O H1N1 é do tipo A, maior causador de epidemias.

Enquanto o H1N1 possui uma proteína chamada hemoaglutinina, que tem a capacidade de se replicar, e uma neuroaminidaze, com a função de ligar as células, o H3N2 possui uma quantidade maior de proteínas:duas hemoaglutininas e três neuroaminidazes, modificando a forma de infecção do vírus. A transmissão do vírus A não é pelo ar, mas através do contato com superfícies contaminadas.

Em ambos casos os principais sintomas costumam aparecer após 24 horas e são os mesmos: febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza. Além disso, é comum a pessoa infectadaapresentar dificuldade respiratória, ou dor de garganta.
Divórcios em cartórios de Campinas diminuem 12% no primeiro semestre

Município registrou 333 separações entre os meses de janeiro e junho. Estado de São Paulo teve uma redução de 7,7% no mesmo período.

O número de divórcios em cartórios de notas de Campinas diminuiu 12% no primeiro semestre deste ano, comparado com o mesmo período doano passado. Segundo levantamento divulgado pelo Colégio Notarial do Brasil, no dia 15/agosto, foram 333 separações entre os meses de janeiro e junho, contra 378 no mesmo período de 2011.

A redução apresentada no município é maior que a média registrada pelo estado de São Paulo, de 7,7%. Ela corresponde aos 7.971 divórcios registrados pelas cidades paulistas nos primeiros seis meses.“Acomodação de mercado”
A diretora do Colégio Notarial - Patrícia Moreira de Mello Alves - relaciona o resultado do balanço à Emenda Constitucional 66 de julho de 2010, que acabou com os prazos necessários para a realização do divórcio. Antes da emenda, os casais tinham que estar separados judicialmente há um ano ou separados de fato há dois anos.

"Da mesma forma que houve um aumento naquantidade de divórcios quando se compara aquele ano e 2011, em virtude das mudanças que facilitaram o processo, agora houve uma certa acomodação de mercado, que é natural", explica a diretora do CNB. Entre 2010 e o ano passado, Campinas registrou aumento de 15,3% na quantidade de divórcios. O número subiu de 606 para 699.

Apesar dos números, a diretora do CNB informou que a tendência para o segundosemestre é de estabilização dos números. "Não devem ocorrer grandes mudanças", diz Patrícia Alves.

O que mudou
Desde a publicação da lei que permite a realização de divórcios em cartórios, em 2007, a população não precisa mais recorrer ao Poder Judiciário para realizar divórcios, separações e inventários consensuais, desde que não haja filhos menores ou incapazes envolvidos, bem como...
tracking img