Invictus

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1168 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]


ACADÊMICOS:
TÍTULO DO TRABALHO:



COMPREENDER O MOVIMENTO DA REFORMA E CONTRA REFORMA.




REFORMA:


O autor Lururiaga (1889-1959,p.108) aborda que a reforma religiosa, a reforma por antonomásia , é parte do grande movimento humanista da Renascença, é a sua aplicação à vida religiosa. Humanismo e Reforma coincidem, assim, em muitos pontos.Primeiramente coincidem na acentuação da personalidade autônoma da individualidade livre ante qualquer coação exterior, seja intelectual, ou seja religiosa. Depois, ambos os movimentos tem sentido critico quanto a toda autoridade dogmática. Finalmente, ambos buscam inspiração na vida espiritual no íntimo do homem.


[...] A reforma, igualmente, organiza a educação pública não apenas no grau médio,ampliando a ação dos colégios humanistas da Renascença, mas também, e pela primeira vez, com a escola primária e pública. Finalmente, tem a Reforma caracteres própios em cada país acentuando o caráter nacional da educação [...].


Dessa forma percebemos que há uma grande diferença entre a educação do Humanismo e Reforma, enquanto os humanistas com o caráter mais livre, espontâneo, aReforma é mais severa, rigorosa.
Luruziaga (1889,p.109) afirma, que a Reforma religiosa começa na Alemanha, no século XVI. Já antes haviam surgido nos movimentos reformistas ou de protestos contra a igreja, por cuidar-se que ela se havia desviado das primitivas crenças.
Aranha (1991,p.107) esclarece, que o universalismo da igreja contrapõe-se o ideal do nacionalismo , expresso na formaçãodas monarquias nacionais e no fortalecimento do poder dos reis. Consequêntemente , é rejeitada a teoria da supremacia do poder papal.
A crise maior da igreja se dá, no entanto, no século XVI, com a Reforma protestante que vinha ao encontro dos desejos de mudança: Lutero recebe a adesão dos nobres, interessados no confisco dos bens da igreja (ARANHA ,1991,p.107).
Cotrim (1989,p.172)aborda, que não no inicio dos tempos Modernos havia toda uma série de insatisfação acumuladas contra a igreja católica. Insatisfações puramente religiosas, que se refletiam em criticas contra o comportamento desregrado do clero, contra o clima de corrupção e de negociata dentro da igreja, alem de surgirem novas interpretações sobre aspectos doutrinários do cristianismo. Havia também odescontentamento sócio-econômico que se traduzia na busca de uma ética religiosa mais adequada ao espírito do capitalismo comercia. Acrescentem-se a isso conflitos políticos entre a igreja e os governantes das monarquias nacionais em formação.
Todo esse processo do descontentamento contra a igreja católica desembocou um movimento de ruptura religiosa: A Reforma protestante, do século XVI.Lururiaga (1889-1959,p.109) discute, não cabe aqui expor e julgar o movimento protestante, mas apenas ver-lhes as conseqüências na educação. A primeira e mais importante, como se assinalou é a formação da educação pública.
[...] Surge esta com reação contra a educação eclesiástica da época, mas tem também caráter religioso. Lutero pede, com efeito, que as autoridades , publicas fundem escolaspara dar melhor educação religiosa[...].
Lutero foi único que conseguiu apoio das autoridades e dos políticos ,ele se preocupava, em geral, mais com as classes burguesas, arranjadas, que com os pobres, cuja educação reduz ao mínimo, posto também se interesse por elas. O importante é que despertou o interesse das autoridades oficiais e, com isso promoveu o começo da educação pública(LURURIAGA,1989-1989,p.111).
Segundo Cotrim(1989,p.174) destaca, que durante os séculos, a igreja católica ostentou a posição de órgãos representantes de Deus na terra. Uma espécie de ponte intermediaria entre Deus e os homens. Lutero procurou desabar essa ponte, deslocando a igreja dessa tão honrosa posição. Para ele, o contato entre Deus e sseus filhos dispensava, intermediarias e dependia, tão...
tracking img