Interfaces baseadas em esquetes processamento e aprimoramento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2282 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Interfaces baseadas em esquetes: Processamento e Aprimoramento
Processando desenhos em 2D e
conceituando para desenhos 3D





Guilherme Felipe Cenci Campigotto
Universidade Federal do Paraná
guilhermecampigotto@hotmail.com











Trabalho apresentado à disciplina
de Metodologia Científica, coordenada
pela professora Olga Bellon, do curso de
Bacharelado em Ciência daComputação





















Curitiba,PR
18/05/2011
Resumo


Esquematizar trabalhos, projetos, faz parte do dia-a-dia do ser humano. E na grande maioria das vezes, esses esquemas são desenhos à mão livre. Logo, torna-se necessário abstrair esse tipo de esquema para a máquina, objetivando melhorá-lo e torná-lo mais produtivo.
É com isso em mente que sãocriados os sistemas capazes de interagir com os desenhos feitos à mão pelo ser humano. Sejam esses sistemas destinados à tratar desenhos 2D ou então modelos 3D, ambos tornam a vida do usuário mais simples, e seu trabalho mais eficiente.




1. Introdução

Este trabalho científico disserta sobre como tratar desenhos à mão livre (esquetes) em tempo real, obtidos através do usuário, o qual fazuso de um tablet. Sem algoritmos específicos, há apenas a explicação de como funcionam as etapas do processo de leitura e aprimoramento, fazendo-se uso de imagens para facilitar a compreensão.
Vale lembrar que não se faz necessário a implementação de algoritmos, haja vista que estes podem variar de aplicação para aplicação. O método de aprimoramento, contudo, é global.
Esta dissertaçãotem como foco apresentar as etapas de tratamento de desenhos de superfícies 2D, apresentando rapidamente, contudo, os conceitos gerais do tratamento de superfícies 3D à partir de esquetes (desenhos) em 2D.






2. Lista de imagens

i. Figura 1: Imagem que demonstra a detecção de vértices em um desenho;
ii. Figura 2: Tracejado à mão livre de um quadrado;
iii. Figura 3:Gráficos para visualização de dados relacionados à direção, curvatura e velocidade de um tracejado;
iv. Figura 4: Comparação entre o desenho original e o desenho aproximado na primeira instância;
v. Figura 5: Gráfico para visualização de dados relacionados à velocidade de um tracejado, e desenho aproximado na segunda instância (envolvendo velocidade);
vi. Figura 6: Exemplo de aproximação decurvas ;
vii. Figura 7: Comparação entre o desenho original e a imagem aprimorada;
viii. Figura 8: Comparação entre o desenho original e a imagem aprimorada na primeira instância;
ix. Figura 9: Comparação entre a imagem aprimorada em uma segunda instância, e sua superfície 3D correspondente.






3. Processamento de esquetes

O processamento de esquetes coincide demuitas maneiras com o extensivo trabalho de análise de imagens em documentos, e, em particular, em reconhecimento de gráficos, onde o objetivo é, de uma imagem escaneada (por exemplo, um projeto de engenharia), obter uma descrição simbólica dessa imagem.
Contudo, as diferenças aumentam pois processar desenhos feitos em tablets é um processo interativo em tempo real, e é necessário lidar comimagens feitas à mão, ao invés de diagramas precisos, como por exemplo, os encontrados em desenhos de engenharia ou arquitetura. O grande desafio torna-se lidar com desenhos comprometidos, incompletos. Há também o chamado "ruído" dos desenhos. Um "ruído" em um desenho à mão livre não segue um padrão, afinal, cada ser humano desenha de uma maneira diferente. Para tratar este tipo de anomalia énecessário formar padrões próprios para cada usuário, e isso é possível fazendo-se uso de informações relacionadas ao tempo/velocidade do traço.
Processamento de esquetes é uma tarefa complicada em geral, com uma taxa de reconhecimento em torno de 70%, mesmo para um grupo estritamente formado por figuras geométricas, como retângulos, círculos, linhas etc. Porém, nem todos os desenhos são formados...
tracking img