Historia da economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1253 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
MERCANTILISMO

Mudanças ocorridas na Europa do século XV ao século XVIII Governos absolutistas Busca por riquezas Grandes Navegações Industrialização Protecionismo Comercial

Mapa mundi

ECONOMIA CLÁSSICA

Marco na introdução do estudo da economia como uma ciência

A Riqueza da Nação de Adam Smith é a obra que propulsionou os estudos na área
Influências do Mercantilismo e daRevolução Industrial Favorecimento do Liberalismo Econômico

Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte

ECONOMISTAS CLÁSSICOS

Adam Smith – Escocês – 1723 - 1790 Obra – A Riqueza das Nações Teoria do Liberalismo Econômico Teoria da Formação da Riqueza das Nações Função do trabalho ao valor das riquezas Contestação ao Mercantilismo e Absolutismo

"A riqueza de uma nação se mede pela riqueza dopovo e não pela riqueza dos príncipes."

Jean-Baptiste Say 1767 - 1832

Obra Tratado de Economia Política Premissas do autor Teoria do trabalho x utilidade Teoria das máquinas x desemprego Atribuição do papel econômico aos empresários A oferta cria sua própria demanda – Lei de Say
Thomas Malthus - 1766 - 1834

Teoria da População Verificação da importância da demanda

David Ricardo(1772-1823)

Ricardo e a Teoria Quantitativa da Moeda Considerado um dos primeiros monetaristas da Ciência Econômica Moderna Emissão de Moeda > Necessidades do Sistema = Aumento Generalizado de Preços

MV = PQ

Ricardo e a Política Monetária
M.V = P.Q M = oferta de moeda (quantidade de moeda em circulação)
V = velocidade de circulação da moeda no sistema econômico P = nível de preços dosistema econômico Q = nível de produção do sistema econômico (bens e serviços)

Considerando a velocidade da moeda e o nível de produção constantes no curto e médio prazo, qualquer alteração na quantidade ofertada de moeda implica em alterações no nível geral de preços

RICARDO – AGRICULTURA E COMÉRCIOS INTERNACIONAL

Falta de espaço físico na Inglaterra para produção agrícola

Desvantagemsob Estados Unidos, França, Rússia, os quais poderiam abastecer a Inglaterra com grãos mais baratos
O aumento de grãos vindos desses países forçou a baixa de preços dos produtores Ingleses, que pediam por mais proteção comercial

TEORIAS DE RICARDO

A queda dos preços dos gêneros agrícolas melhorava as condições de acúmulo de capital na indústria

INTERLIGAÇÃO DOS PREÇOS DOS CEREAIS À:Repartição da renda

Aumento da população
Preço da renda da terra (renda diferencial do solo) Vantagens Recíprocas do comércio internacional Nível de salários de subsistência

Teoria dos salários x subsistência
Determinação dos salários – quantidade de mão de obra disponíveis x custo de vida ao nível de subsistência
Teoria da renda da terra

A renda da terra era determinada por:
Diferençade fertilidade e localização das terras cultivadas Diferença dos custos e equalização dos preços dos produtos agrícolas

Aumento populacional

pressionamento para oferta de produtos agrícolas

Pressão dos preços agrícolas

RESULTADO
Diminuição do ritmo de acumulação de capital e parcela considerável do produto social (riqueza) se transferia às mãos dos proprietários fundiários; destaManeira, nem a população, tampouco a economia capitalista poderiam crescer mais Rapidamente (estado estacionário)

DEFESA DE RICARDO
A defesa do livre comércio para Ricardo tinha o objetivo de enfrentar o poder de monopólio dos proprietários fundiários sobre a terra e quebrar com as limitações da oferta de grãos favorecendo a diminuição do custo de vida e o aumento das margens de lucro industriais TEORIA DAS VANTAGENS COMPARATIVAS
Pressupostos

Livre mobilidade de mão de obra Valor das mercadorias tem por base a quantidade (medida em tempo) de trabalho despendida em sua produção
Os países trocariam mercadorias as quais fossem capazes de produzi-las com o menor custo possível em termos de quantidade de trabalho

Análise da produção de tecidos e vinhos (em horas trabalhadas)...
tracking img