Higiene

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5667 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de setembro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL














TRABALHO DE ESTÁGIO















ALUNA: LARISSA C. D. JORNOOKI





















PLANILHA DE REGISTRO DE ATIVIDADES DO ESTÁGIO I

Nome do(a) aluno(a): Larissa C. D. Jornooki
Instituição de Ensino/ Local do Estágio: Escola Municipal Alvorada - Educação Infantil e Ensino FundamentalMunicípio: Pato Branco Estado: PR
Ano/Turma/Turno de Estágio e faixa etária das crianças: 2012, Pré-Escola, Tarde, 5 anos de idade.

APORTES TEÓRICOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL


Até meados do século XIX , o atendimento a crianças pequenas no Brasil praticamente não existia.
A educação infantil veio a ser discutida com maior ênfase no 1º Congresso Brasileiro de Proteção àInfância, onde foi divulgado um levantamento do número de creches e jardins de infância sendo um total de 30 em 1921. Na estatística realizada para o segundo congresso (1924) encontravam-se 47 creches e 42 jardins, mas, infelizmente este congresso nem chegou a ocorrer. Como citado anteriormente, as nomenclaturas creche e jardim de infância exprimiam na época uma distinção sócio-cultural.
Aospoucos, a nomenclatura vai deixar de considerar a escola maternal como se fosse aquela dos pobres, em oposição ao jardim-de-infância,
passando a defini-la como a instituição que atenderia à faixa etária dos 2
aos 4 anos, enquanto o jardim atenderia de 5 a 6 anos. Mais tarde, essa
especialização etária irá se incorporar aos nomes das turmas em instituições
com crianças de 0 a 6 anos (berçário,maternal, jardim, pré) Com a regulamentação do trabalho feminino em 1932 as creches em empresas com mais de 30 funcionárias passam a ser de caráter obrigatório. Esta medida integra-se a Constituição de 1988 no que se refere à educação infantil, que prevê creches gratuitas para crianças de zero a seis anos, destinadas
as mães trabalhadoras.
Em 1940 é regulamentado o Parque Infantil, em1935 teve sua primeira sede em São Paulo, mas não tardou muito e logo o Parque Infantil abriu outros espaços por vários estados do território nacional. Segundo KUHLMANN (2000) a visão de criança e do Parque Infantil defendida por Mário de Andrade, que fora diretor do Departamento de Cultura de 1935 até 1938, era que “valorizavam uma nova referência para a nacionalidade, com elementos do folclore,da produção cultural e artística, das brincadeiras e dos jogos infantis”.Em 1965, segundo dados obtidos da época, já tínhamos cerca de
3.320 jardins de infância espalhados pelo Brasil, sendo 1.535 públicos e 1.785 particulares.
Finalmente, quase um século após sua entrada no país a educação infantil começa a ter seus primeiros avanços. Na verdade ela passa a exercer uma pedagogia de submissãona classe trabalhadora, não podemos esquecer que nesse exato momento havíamos acabado de sofrer o golpe militar e a censura estava presente em todas as instituições.
Com a Constituição de 1988 fica estabelecido que as creches e pré-escolas fariam parte dos sistemas educacionais, mas é só com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, a 9.394/96, de 20 de dezembro, que a determinaçãoconstitucional ganha estatuto legal definido mais claramente. E,
em 1998 sai o Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil, que tinha o objetivo de orientar o trabalho das instituições destinadas a educação infantil.
A visão assistencialista com relação à infância sofre sua ruptura parcial, essa concepção perdurou durante muito tempo e ainda resiste em algumas instituições, passando a serencarada como uma preparação para a admissão na primeira série, ou seja, prepararia-se a criança de classe social menos favorecida para que ela fosse capaz de acompanhar as demais crianças ao longo do ensino da primeira a quarta série.
Em 1996, com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, a educação infantil começa a ser encarada como parte do sistema educacional brasileiro.
Acreditamos que...
tracking img