Guerra cambial brasil x mundo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1111 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Veiga de Almeida
30 de Março de 2012
Beatriz Aquino – Curso : Direito Turno: Manhã
Economia Política

A guerra Cambial Brasil x Mundo

Guerra Cambial :
O termo vem sendo usado por diversos governos e economistas para descrever uma suposta disputa entre os países envolvendo suas moedas.
O argumento é de que alguns países, sobretudo emergentes,estariam "forçando" a desvalorização de suas moedas para beneficiar seus ganhos com exportação. A guerra cambial não está apenas relacionada ao câmbio, mas às “relações econômicas internacionais”, que não estão resolvidas. O que se desenha no cenário internacional é uma batalha entre grandes economias onde “a Europa tenta defender sua posição de competição no comércio internacional, os EUA defendem asua situação crítica e a China, que é o grande emergente mundial, tenta defender sua crescente participação no comércio mundial”
Guerra Cambial : Mundo
A verdadeira ‘guerra cambial’ continua a ser a velha desavença entre EUA e China a respeito dos valores de suas moedas .Os Estados Unidos continuam sofrendo com a crise. A retomada tem sido lenta e os reflexos desse cenário são percebidos nabaixa popularidade do Presidente Obama. As medidas tomadas por lá para tentar alavancar a economia levam à desvalorização ainda maior de sua moeda. Os EUA estão ficando mais pobres, ao desvalorizar sua moeda, e eles o fazem por absoluta necessidade, já que de outro modo o ajuste seria ainda mais brutal. Os chineses apenas defendem seu modelo exportador, fazendo ajustes cambiais dirigidos,

Omundo que surgiu após a crise financeira global de 2008 é bipolar. De um lado, Estados Unidos, Europa Ocidental e Japão, com consumidores e governos endividados até o pescoço, os empregos e o crédito sumindo. Do outro, os emergentes, liderados por China, Índia e Brasil, onde empregos e aceitarem salários mais baixos. Desde 2008, enquanto foram criados mais de cinco milhões de novos empregos noBrasil, nos EUA sumiram oito milhões.

No mundo pós-crise, os países emergentes vão consumir mais e os ricos produzir mais. Uma valorização da moeda chinesa ajudaria a evitar uma guerra comercial, é bom estarmos preparados para um real cada vez mais forte. 
crédito nunca foram tão fartos!
 
Para estimular suas combalidas economias e financiar déficits públicos impagáveis, os países ricos vêmimprimindo dinheiro em quantidades colossais. Entretanto, a maior parte deste dinheiro não está virando consumo por lá, e sim investimentos por aqui. Apavorados, seus consumidores pisaram no freio e começaram a poupar. O dinheiro depositado nos bancos acaba investido aqui, onde a rentabilidade é muito maior. Para completar, com a China consumindo quantidades cada vez maiores de matérias-primas, astais commodities, os preços dos produtos exportados pelo Brasil não param de subir, favorecendo nossa balança comercial.
 
Some-se a isto o pré-sal, a capitalização da Petrobras, multinacionais investindo por aqui, e o dólar vale cada vez menos. Aliás, isto é parte importante do processo de ajuste dos atuais desequilíbrios da economia global. Nas três últimas décadas, os americanos gastarammuito mais do que produziram. Com o sumiço do financiamento, chegou a hora de pagarem a conta. Para isso, os custos para produzir terão de cair. Isto acontecerá através de um dólar em queda livre – que torna produtos americanos mais baratos no resto do mundo – e uma bela recessão, que elimina empregos, forçando os americanos a aceitarem salários mais baixos
 
A guerra cambial e o Brasil:
O regimecambial brasileiro, desde 1999, é de livre flutuação. Então, as transações comerciais e financeiras, que o país realiza com o exterior, provocam entrada e saída de capitais (dólar ou de outras moedas estrangeiras), geram um fluxo de entrada de dólares. Já o movimento comercial de importações de mercadorias e serviços gera a saída de dólares. O que ocorre atualmente é uma superentrada de dólares...
tracking img