Gsm - vswr - drive test

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7169 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA
CELSO SUCKOW DA FONSECA – CEFET/RJ








Cell







Paulo Ricardo Venancio Vicente












Rio de Janeiro
Junho de 2009
SUMÁRIO


Capítulo 1 1
Tabela 1 – Assinantes/conexões [Teleco] 1
1.1 A Empresa 2
1.2 História 2
Capítulo 2 4
Tabela 2 – Sistemas Móveis Convencionais X Sistemas Celulares [WirelessBrasil] 4
2.1 Componentes básicos de um sistema celular 4
2.2 Características do sistema celular 5
2.2.1 Mobilidade 5
2.2.2 Cobertura da célula 5
2.2.3 Cobertura da célula 5
2.3 GSM 6
2.3.1 Arquitetura GSM 7
2.3.1.1 MS 7
2.3.1.2 BTS 7
2.3.1.3 BSC 8
2.3.1.4 MSC 8
2.3.1.5 HLR 8
2.3.1.6 VLR 9
2.3.2 Canais Lógicos 9
2.3.2.1 TCH’s 9
2.3.2.2 BCH 9
2.3.2.3SDCCH 10
2.3.3 Handover 10
2.4 Link Budget 10
2.4.1 Cálculo da Cobertura 12
Capítulo 3 14
3.1 Projeto de uma ERB nova 14
3.2 Projeto de uma ERB de capacidade 14
3.3 Equipamentos 15
3.3.1 Especificações técnicas – Micro BTS 2308 16
Capítulo 4 18
4.1 Link Budget 18
4.2 Teste de VSWR 22
4.3 Drive Test 23
4.3.1 Processo de otimização 25LISTA DE FIGURAS




Figura 1 – Rio de Janeiro e Espírito Santo 2
Figura 2 – Martin Cooper 3
Figura 3 – Motorola, DynaTAC 8000X 3
Figura 4 – Rede celular e interligação à PSTN [Wireless Brasil] 5
Figura 5.A – Cluster 6
Figura 5.B – Reuso de frequências 6
Figura 6 – Canais físicos do GSM são formados por um ARFCN (canal de freqüência) e 8 timeslot. 6
Figura 7 – Arquitetura GSM e UMTS 7Figura 8 – Estrutura para ERB 15
Figura 9 – Dimensões da BTS 2308 16
Figura 10 – Elementos da BTS 2308 17
Figura 11 – Saídas da BTS 2308 17
Figura 12 – Elementos passivos 17
Figura 13 – Equipamento utilizado para realização de teste de VSWR e DTF 23
Figura 14 – Solução de drive-test integrada. 24
Figura 15 – Equipamento TEMS: IDLE e ACTIVE. 24
Figura 16 – Solução de drive-test integrada.25






























LISTA DE TABELAS

























































LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS


AMR Adaptative Multirate
BCCH Broadcast Control Channel
BER Bit Error Rate
BSC Base Station Controller
BSS Base Station Subsystem
BTS Base TransceiverStation
DTF Distance-To-Fault
EDGE Enhanced Data rates for GSM Evolution
FCC Federal Communication Commission
FDMA Frequency Division Multiple Access
GPRS General Packet Radio Service
GSM Global System for Mobile
HLR home location register
HSDPA High Speed Download Packet Access
IMSI International Mobile Subscriber Identity
LED Light Emitting Diodes
MAPL Maximum AllowedPath Loss
MSC Mobile Switching Centre
MS Mobile Station
OMR Operação e Manutenção de Rede
PSTN Public Switched Telephone Network
SDCCH Stand-alone Dedicated Control Channel
SIM Subscriber Identity Module
TCH Traffic Channel
TDMA Time Division Multiple Access
TRAU Transcoder and Rate Adaptation Unit
UMTS Universal Mobile Telecommunications System
VLR Visitorlocation register
VSWR Voltage Standing Wave Radio
WCDMA Wideband Code Division Multiple Access



Capítulo 1


Introdução

A evolução das comunicações do início do século XX até hoje está passando por avanços inimagináveis. É claro que todos os estudos feitos por cientistas nos séculos anteriores tinham um objetivo comum em: possibilitar que pudéssemos nos comunicar em tempo real comoutras pessoas fisicamente distantes, porém o que eles não imaginavam era que em menos de 100 anos tudo isso iria se tornar realidade, e mais, além de conseguirmos comunicação por meios físicos (meio confinado: cabo) também iríamos conseguir comunicação pelo ar.
Neste presente trabalho iremos abordar uma breve descrição de como, quando e onde surgiu os primeiros passos da telefonia sem...
tracking img