Go west, young man! um debate sobre a expansão da fronteira estadunidense no século xix

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4971 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Go West, Young Man!
Um debate sobre a expansão da fronteira estadunidense no século XIX

Por Bruno P.L. Aranha [1]

1. Introdução
Go West, Young Man , (Para o Oeste meu jovem), essa foi uma expresão célebre, e amplamente difundida nos Estados Unidos em meados do século XIX. Horace Greeley, personalidade muito influente em sua época, diretor do jornal New York Daily Tribune, utilizou essafrase em um de seus editoriais, ocasionando uma enorme repercussão dentro do país, já que o NYDT gozava de alta popularidade nos Estados Unidos, [2] sendo o jornal mais lido nessa época, apresentando uma linha política que mesclava a defesa de idéias progressistas, defendia a libertação dos escravos e se opunha à pena de morte. [3] A importância do periódico pode ser ressaltada no fato de que umdos seus correspondentes na Europa era ninguém menos que Karl Marx. [4] Essa famosa frase de Greeley, eternizada na memória estadunidense, marca um momento histórico particular dos EUA, que ficou conhecida como a “Conquista do Oeste”.
Os Estados Unidos surgiram como uma nação independente no fim do século XVIII, quando as treze colônias inglesas da costa leste da América do Norte se rebelaramcontra o domínio inglês ao proclamarem sua independência em 1776. O próprio nome do novo país já denotava algo que soava meio vago: Estados Unidos da América. Afinal, até então não havia um sentimento de nação, isso era algo, todavia a ser construído. O que de fato aconteceu foi uma união dessas treze colônias em torno de uma causa comum, que foi o rompimento com a Inglaterra, não obstante,mantinham muitas diferenças entre si, o que viria a ocasionar mais tarde a Guerra de Secessão. [5]
O processo de construção da nação estadunidense ganha impulso com a propagação do Destino Manifesto, cujo pensamento expressa a crença de que o povo dos Estados Unidos é eleito por Deus para comandar o mundo, nesse sentido, a expansão territorial do novo país seria apenas uma vontade divina a ser cumprida.Desde a época colonial que estadunidenses e migrantes adentraram cada vez mais a oeste do continente norte-americano, penetrando em áreas, ainda não controladas pelos Estados Unidos, territórios pertencentes a diversas nações indígenas, além de áreas sob domínio da Inglaterra, França, Espanha e México.
Essa expansão rumo ao oeste foi de primordial importância para os Estados Unidos, já que umnovo país de pequenas dimensões, confinados essencialmente a costa atlântica do continente, veio a se tornar um dos maiores países do mundo em extensão territorial, e uma potência econômica hegemônica até os dias de hoje.
Nas décadas finais do século XIX, o processo de construção das identidades nacionais ainda estava em curso, não só a dos Estados Unidos, como também de outros países da Américae mesmo da Europa, onde Itália e Alemanha, recém haviam se unificado como nações. A disciplina histórica, assim como as outras ciências, estava em processo de formação dentro do contexto positivista da época. No caso do processo de construção das identidades nacionais desses países, a disciplina histórica foi de importância primordial.
Frederick Jackson Turner é o primeiro grande historiadorestadunidense, dentro do que chamamos hoje de História Acadêmica. Até então a História dos EUA era “contada” basicamente por pesquisadores amadores, que faziam uma espécie de “História Romântica” e que defendiam a historia magistra vitae. Uma outra corrente era a da germ theory (teoria germânica) ou teoria genética, que enfatizava a continuidade da democracia estadunidense, cujas origens estariam nasflorestas da Germânia medieval, daí a origem de seu referido nome. [6] Os teóricos da germ theory já eram considerados historiadores profissionais, mas foi Turner, com sua frontier thesis (Tese da Fronteira) que veio a construir a tese mais aclamada na historiografia estadunidense, sendo motivo de debate e de reconstruções até os dias de hoje, tanto dentro da academia, como fora dela.
Em...
tracking img