Germinal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1422 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Unicentro
Luis Carlos Kanzler Junior

Resenha Crítica: Germinal





Irati
2012

Introdução
Algumas ou muitas obras são tão fiéis a realidade, que pouco dá pra acreditar que aquilo tudo é ficção. Mas pouquíssimas mesmo, podem se equivaler a Germinal. EmileZola, autor do livro no qual o filme de 1993 dirigido por Claude Berri. Zola passou meses trabalhando nas minas de extração de carvão para servir de inspiração em Germinal. O escritor francês enfrentou as cargas horárias de trabalho praticamente ininterruptas, comeu da mesma comida e viveu no mesmo teto que os pobres minerados, e acompanhou de perto muitas greves e revoltas, nesse meio tempo. Atítulo de curiosidade,o livro de Zola é uma das obras percussoras do estilo literário conhecido com Naturalismo, que procura retratar um realismo cru e visceral.
O livro de fato, não li. Mas o filme de maneira digna, em suas duas horas e meia, faz valer a importância político-social da trama.

Os personagens
A trama é constituida por um vasto número de personagens, uns mais importantes, outrosmenos. Mas uma família é essencial para se manter em foco. Formada por Toussainte Maheu, um senhor de meia idade que é um dos fiéis retratos do proletariado, honesto e trabalhador, vivido pelo dono do nariz mais famoso do mundo, Gerard Depardieu. Sua esposa Maheude, uma senhora de personalidade fortíssima, e dona de um orgulho descomunal.Eles criam seus 7 filhos com muito suor e poucos recursos.Catherine uma das crias de Maheude, desperta a paixão de Chaval, um homem inescrupuloso, asqueroso e imbecil. E também de Etienne, um forasteiro cheio de ideais que chega pra mexer com a vida da família ,e de todos do povoado.
Tempos Difíceis
Quando 16 horas de trabalho com uma remuneração insignificante, é tudo o que se pode ter, a batalha é diaria pra se por uma simples fatia de mão na mesa.Tomando exemplo da familia Maheud, a matriarca muitas vezes vai a casa dos chefes da companhia pedir algum tipo de subsistência. Quando pouco consegue(apoiada por uma frase dita por algum deles ‘’Mas já lhe damos moradia’’), ela tem que negociar com o dono do armazém, que odeia fazer caridade. Em alguma parte do filme, fica um pouco claro que o dono do armazém explorava sexualmente algumas dasmulheres que iam lá quando o seus maridos não conseguiam prover a família de todo. De certa forma, ele pagou seu preço, com o membro cortado. Alias Chaval usa do mesmo artifício, quando Catherine se interessa por um acessório, um laço, em troca disso Chaval se aproveita, e tem o quer, o corpo de Catherine.
Catherine se obriga a ir morar com Chaval, com o qual não tem nenhum tipo de amor, pois de umcerta forma ela tem uma melhor garantia de sustento do que com a família, que já tem várias bocas pra alimentar.
Mesmo assim parece que há um tipo de aceitação dos mineradores em relação a isso. Eles não deixam de botar um sorriso no rosto, fazer suas festas no fim de semana, nem da cerva ao final do expediente. Mas quando a companhia faz questão de tirar o pouco do brilho que se tem no olhar. Ascoisas podem mudar.

Uma semente que germina
Como já foi dito, Etienne chega no povoado, pra mexer com a vida de todos. Ele surge em busca de uma vaga na mina, a qual consegue pela morte de uma mulher que lá trabalhava.
Um homem ponderado, de poucas palavras, de começo encontra um ambiente ora hostil, ora indiferente a sua presença. Aos poucos vai revelando seus ideais, que são contrarios aexploração dos burgues aos trabalhadores e da remuneração infima que o proletariado recebe pelo seu esforço diário. Ele acredita que um dia todos iriam ser tratados de igual para igual.Mas naquele ambiente ele não encontra fertilidade para suas idéias, pelo menos naquele momento. Um homem, personagem o qual não recordo haver uma citação quanto ao nome, aborda algumas questões que vão de...
tracking img