Florbela espanca

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (385 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Florbela Espanca nasceu a 8 de Dezembro de 1884 em Vila Viçosa e acabou por se suicidar, com 36 anos, em 8 de Dezembro de 1930 em Matosinhos, foi uma poetisa portuguesa inspirada na sua história devida cheia de sofrimentos íntimos e intensos e carregada de erotização, feminilidade e panteísmo. Dedicando-se sobretudo ao soneto.
Os primeiros passos da obra poética de Florbela Espanca datam dosanos 1903 - 1904. Nomeadamente com o poema “A Vida e a Morte”, soneto em redondilha maior que homenageia o seu irmão Apeles.
Mais tarde em 1913, casou – se em Évora com o seu colega de escola, Albertode Jesus Silva Moutinho. A primeira habitação do casal foi em Redondo, mas em 1915 mudam-se para a casa da família Espanca em Évora devido a dificuldades financeiras.
Filha de Antónia da ConceiçãoLobo e do republicano João Maria Espanca, foi uma das primeiras mulheres a frequentar o curso de direito em Lisboa.
É já na capital que contacta com outros membros da elite poética da época e com ogrupo de mulheres escritoras, na altura um proeminente grupo na “cena” lisboeta. É também nesta altura que colabora em jornais e revistas, entre os quais o Portugal Feminino. Em 1919 surge a publicaçãoda sua primeira obra poética, o “Livro de Mágoas”.
Em 1921 Florbela divorcia-se de Alberto Moutinho e casa de novo no Porto com o oficial de artilharia António Guimarães. Em 1923, publica “SórorSaudade”. Em 1925, Florbela casa-se mais uma vez, desta feita com o médico Mário Laje.
Em 1927 morre o seu irmão Apeles, o que, juntamente com a série de desilusões amorosas e de consequentes casamentosfalhados afecta brutalmente Florbela quer pessoal quer poeticamente.
Em 1930 e após o agravamento da sua saúde Florbela Espanca põe termo à vida no dia do seu 36.º aniversário.
*Postumamente forampublicadas as obras Charneca em Flor (1930), Cartas de Florbela Espanca, por Guido Battelli (1930), Juvenília (1930), As Marcas do Destino (1931, contos), Cartas de Florbela Espanca, por Azinhal...
tracking img