Filosofia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2611 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
ADMINISTRAÇÃO

filosofia

Juazeiro- Ba
2010

FILOSOFIA

Trabalho apresentado ao Curso Administração da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina Filosofia

Profª. Marcia Bastos de Almeida

Juazeiro- Ba

2010

Introdução

A filosofia é adisciplina ou a área de estudos que envolve a investigação, a argumentação, a análise, discussão, formação e reflexão das ideias sobre o mundo, o Homem e o ser. Originou-se da inquietude gerada pela curiosidade em compreender e questionar os valores e as interpretações aceitas sobre a realidade dadas pelo senso comum e pela tradição.
As interpretações comumente aceitas pelo homemconstituem inicialmente o embasamento de todo o conhecimento. Essas interpretações foram adquiridas, enriquecidas e repassadas de geração em geração, Ocorreram inicialmente através da observação dos fenômenos naturais e sofreram influência das relações humanas estabelecidas até a formação da sociedade, isto em conformidade com os padrões de comportamentos éticos ou morais tidos como aceitáveis emdeterminada época por um determinado grupo ou determinada relação humana. Falaremos neste trabalho sobre a moral e a sua influêncais para a formação do individuo.

TRECHO - VALOR DA HISTÓRIA

“[...] Quando se trata de valores especificamente morais, cujo caráter axiológico foi descoberto relativamente cedo, é muito fácil enxergar a intensidade com quem se orientam no sentido da ecplicitação dosvários aspectos da essência humana. Não há atividade “moral” autônoma ou substantiva; a moral é uma relação entre as atividades humanas. Essa relação é a conexão da particularidade com a universalidade genericamente humana. A portadora dessa universalidade do gênero é sempre alguma estrutura social concreta, alguma comunidade, organização ou idéia, alguma exigência social. A moral é o sistema dasexigências e costumes que permitem ao homem converter mais ou menos intensamente em necessidade interior – em necessidade moral – a elevação acima das necessidades imediatas 9 necessidades de sua particularidade individual, as quais podem ser expressas como desejo, cólera, paixão, egoísmo ou até mesmo fria lógica egocêntrica, de modo a que a particularidade se identifique com as exigências, aspirações eações sociais que existem para além das causalidades da própria pessoa. [...].

Voltemos ao caráter complexo dos valores morais. Até agora referimo-nos apenas ao momento da explicitação da essência humana relacionado com a sociedade. Citemos um novo aspecto: também a liberdade é uma categoria central da ética. Observemos, incidentemente, que nem sempre isso ocorreu. No cume da hierarquiaaxiológica das éticas antigas não estava a liberdade, mas a felicidade. A liberdade só veio a conseguir um lugar importante e cada vez mais significativo no núcleo da ética na época em que assumiu essa mesma importância na própria realidade; quando as comunidades naturais de tipo antigo se dissolveram, a sociedade capitalista empreendeu o caminho do seu desenvolvimento e, com isso, esgotou-se a inserçãoincondicional e natural do homen numa situação dada; por seguinte, pelo menos de modo abstrato e de acordo com a mera possibilidade, o homem pôde já escolher seu lugar no mundo e, com ele, seus costumes e suas normas o que tornou desnecessária uma ética vinculada ao código de costumes. Assim, portanto, a ‘liberdade’ enquanto nova categoria centrla da eticidade significa um crescimento axiológico.Esse crescimento foi um fato real e objetivo, embora para a grande maioria dos indivíduos continuasse a ser uma mera possibilidade abstrata.”

Heller, Agnes. O cotidiano e a história.

Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1985. p.5-7

O texto acima destaca a questão que tratamos, entre outras, durante a disciplina: a ética. Como a Filosofia está dialogando com a Administração de Empresas,...
tracking img