Filosofia do direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2179 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
RODRIGO GOLIN














Trabalho de Filosofia Jurídica




A FILOSOFIA MODERNA































UNOESC – Universidade do Oeste de Santa Catarina

Fraiburgo - 2009





1 – REFERÊNCIA

MASCARO, Alysson Leandro. A filosofia do Direito: Dos modernos aos Contemporâneos. São Paulo: Editora Atlas, 2008.2 – DADOS BIOGRÁFICOS

O autor desenvolve uma perspectiva original a respeito da história da filosofia, privilegiando os momentos de ruptura, Não apenas narra a história da filosofia, mas também a reinterpreta de acordo com uma insólita e peculiar perspectiva revolucionária nas pegadas, paradoxalmente, dos críticos conservadores de Hegel, que logo perceberam a profunda contradição entre apostura explicitamente reacionária do filósofo de Jena e o método filosófico revolucionário de seu autor. Doutorando em Filosofia pela USP, no período de produção do livro, busca universalizar o conhecimento filosófico através da didática.



3 – RESUMO DA OBRA, A FILOSOFIA MODERNA





3.1 – CAPITALISMO E MODERNIDADE



Com o nascimento da filosofia do direito surgida no períodorenascentista rompem-se as características e a tradição medieval, esta teve como precursor Maquiavel, o qual tendia a ideologia Absolutista.




O iluminismo surge em pleno século das Luzes, o século XVIII. A experiência, a razão e o método científico passam a ser as únicas formas de obtenção do conhecimento. Este, a única forma de tirar o homem das trevas da ignorância. Podemos citar,nesta época, os pensadores Kant, Hegel, Marx.



Com o surgimento do capitalismo, o qual surgiu de uma base mercantilista, iniciou-se com a dinâmica das relações de troca, comércio, contato entre os povos, as grandes navegações, iniciando uma relação social mais intensa entre povos, com isso rompe-se o segregacionismo dos feudos, unificam-se territórios e possibilitam com isso maiorenvergadura comercial.



Abrem-se então neste contexto capitalista, grandes matrizes do pensamento filosófico que acompanham até os dias de hoje o discurso comum da filosofia do direito: Individualismo, direitos Subjetivos, limitação do Estado pelo direito, universalidade dos direitos, anti-absolutismo e contratualismo.





3.2 – O PROBLEMA DO CONHECIMENTO

A filosofia medieval baseava-sena fé, a Moderna era baseada na racionalidade a partir do problema do conhecimento, o empirismo e o racionalismo, não imperavam soberano nenhum sobre o outro, as duas posturas eram fundamentais.



Este problema foi diferente entre as épocas dos gregos ao dos modernos. Para os pré-socráticos a amplitude da questão vai a campos que hoje são da ciência, da poesia, da arte. Os modernos rejeitamesse conhecimento antigo, clássico, centrando sua problemática no indivíduo, no problema específico do conhecimento a partir do sujeito.





3.3 – SOCIEDADE CIVIL E ESTADO, O CONTRATUALISMO



Defendida pelos modernos no sentido em que a natureza humana é individualista e a sociedade surge através de contrato.

A situação primeira dos indivíduos, na qual os homens são livres, osmodernos a denominam estado de natureza. Por várias razões, dizem os modernos, os homens deixam de viver em estado natural e passam a viver em sociedade. Somente um contrato social, baseado na razão, pode num momento posterior, estabelecer um homem diferente, com valores transformados, racionais.



3.4 – O INDIVIDUALISMO



O paradigma do Individualismo mostrado no texto enfatiza que com ocristianismo evidenciou-se o individualismo pela crença da salvação individual, ora a fé sendo individual fará com que a perspectiva de mundo para a filosofia e para a prática seja dada como caracteres também individuais.







3.4.1 – O Iluminismo e as revoluções liberais



As revoluções liberais ocorridas nesse período alteraram o estatuto político, social e econômico ocidental...
tracking img