Filosofia da ciencia

O livro “Filosofia da ciência: Introdução ao jogo e suas regras”, de Rubem Alves, é um livro bastante dinâmico. Como diz o autor, “este não é um livro só para ser lido. Ele contém materiais paraserem trabalhados.” (pág. 17) E a obra secomp orta dessa maneira desde o primeiro parágrafo. A principal função do livro é desmitificar a idéia que se tem da ciência: uma “autoridade”, que fica acima daspessoas comuns e que está sempre correta, e por isso devemos todos segui-la. O autor aproxima a idéia de ciência da idéia de senso comum, sob vários aspectos. Ele afirma que ambas são expressões danecessidade humana de compreender o mundo. O autor prefere não definir o que é senso comum, porém diz que nele se encaixam todas as coisas que não são ciência, ou seja, tudo aquilo que usamos no nossodia-a-dia. Já a ciência o autor define como um aprofundamento de certa parte do senso comum e um controle disciplinado do mesmo. “A ciência nada mais é que o senso comum refinado edisciplinado.”(MYRNALL, Gunnar. Objectivity in Social Research, 1969.) Rubem Alves também nos mostra que, mesmo tratando-se de situações em que atuamos na resolução de problemas usando o nosso senso comum, procedemos deuma maneira muito parecida com a que é usada na ciência: tomamos consciência do problema, construímos um modelo que seria o ideal, ou seja, a maneira da

qual as coisas estariam organizadas se tudoestivesse em ordem, elaboramos hipóteses sobre o problema, ou seja, simulações ideais das possíveis causas do problema, e finalmente testamos nossas hipóteses. E não é preciso ser nenhum cientista parafazer isso, o que é mostrado em vários exemplos utilizados pelo autor, principalmente o do carro (pág. 15, parag. 1 e 2; págs. 22-25). O que é preciso? Simplesmente, termos a consciência dopressuposto de que tudo deve estar em ordem para funcionar corretamente, além da consciência do que buscamos. A questão da ordem é importante, pois se trata de mais um grande aspecto comum ao senso comum e...
tracking img