Filme fale com ela

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1006 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE TIJUCUSSU


MONICA DE ANDRADE
RA: 0050024442










VÍDEO: SICKO


Trabalho apresentado a disciplina Economina Politica do curso de Serviço Social 2 NA - da Universidade Tijucussu Orientação Prof. Ygor Diego Delgado Alves










São Caetano do Sul
2012
VÍDEO SICKO


QUESTÃO: O sistema privado de saúde norteamericano transformou esse serviço em mercadoria. Como o pensamento de Karl Marx e suas ideias sobre o fetichismo pode nos ajudar a compreender o que ocorreu com os funcionários da saúde, os pacientes e qual o papel do governo neste processo?

O pensamento marxista afirma que o fetiche é um elemento fundamental da manutenção do modo de produção capitalista. Na interpretação marxista isso estariarelacionado a uma ilusão que naturaliza um ambiente social específico, revelando a sua aparência de igualdade e ocultando a essência da desigualdade. Segundo Marx, o valor das mercadorias parece ser um dado objetivo, quando na verdade este valor tem por base o trabalho humano nela objetivado. O valor da troca refere-se ao valor que um produto tem para troca com outros produtos, ou seja, no capitalismo,os produtos do trabalho tomam a forma de mercadorias. Diante do pensamento de Marx, o sistema de saúde privado (os planos de saúde) dos norte americanos transformou a saúde em uma mercadoria. Esses planos de saúde (pagos) beneficiariam que podia pagar, ou seja, como afirma Marx “aparência de igualdade”, mais na realidade os mais carentes não se beneficiam desse serviço, ou seja, como afirma Marx“ocultando a essência da desigualdade”. Os pacientes norte-americanos foram abandonados a “Deus dará”, ficaram a mercê da sorte, sem assistência de saúde, sem medicamentos, sem qualquer tipo de tratamento, cirurgias etc., pois tinham que pagar mais caros por eles. A falência do sistema de saúde universal foi implacável. Quem podia pagar optava pelos planos de saúde, mais os mais humildes, os maiscarentes não podiam beneficiar-se desse privilégio. Os pacientes tinham que buscar assistência de saúde em outros países e isso é um procedimento ilegal, e em muitos casos esses norte-americanos que buscavam assistência de saúde em outro país eram “cobrados” pelo serviço prestado. Os funcionários não são valorizados pela sua capacidade, sua qualificação. Eles são mal remunerados, e muitos, ou sesujeitam a isso, ou buscam outras fontes de renda. Só que a crise econômica que se instalou nos Estados Unidos não dá aos nortes-americanos outra opção, ou seja, ou isso ou nada. Teve um senhor no vídeo do Sicko que disse assim: “Se você (governo) pode levantar dinheiro para manter gente (se referindo as guerras) então você pode levantar dinheiro para ajudar as pessoas”. Que visão é essa que priorizauma guerra e não prioriza o povo-pátrio? A expectativa de vida dos nortes-americanos está muito abaixo de muitos outros países como Inglaterra, Grã-Bretanha, Canadá. A população em geral sofre por causa da gestão governamental nos últimos anos. Na realidade, a saúde é um direito é uma necessidade do ser humano, deve ser universal, gratuito, e não seletivo; exclusivo para os que podem pagar.REFERÊNCIAS

VÍDEO: SICKO, o filme. Disponível em > Acesso em 24 de novembro de 2012.

MARX, K. O Capital. São Paulo: Civilização Brasileira, 2003.






























UNIVERSIDADE TIJUCUSSU


ALESSANDRA MOGARO
RA










VÍDEO: SICKO


Trabalho apresentado adisciplina Economia Politica do curso de Serviço Social 2NA, da Universidade Tijucussu
Orientação Prof. Ygor Diego Delgado Alves










São Caetano do Sul
2012
VÍDEO: SICKO

QUESTIONAMENTO: O sistema privado de saúde norte americano transformou esse serviço em mercadoria. Como o pensamento de Karl Marx e suas ideias sobre o fetichismo pode nos...
tracking img