Figuras de linguagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 5 (1014 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 16 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Figuras de linguagem

Empregam-se de modo intencional e com muita freqüência as figuras nos textos literários, mas elas também estão presentes nos textos não literários.
São recursos usados pelos escritores e poetas, para tornarem mais expressivas suas mensagens. As figuras de linguagem dividem-se em figuras de palavras, de construção ou de sintaxe, de pensamento e sonoras.

Figuras depalavras

Metáfora: consiste em empregar um termo com significado diferente do habitual, com base numa relação de semelhança entre o sentido próprio e o sentido figurado.

Ex: Minha namorada é uma gata.
No calor da discussão, trocaram ofensas.
Esse homem é uma fera!
Símile: É a comparação entre dois elementos de universos diferentes. O símile também é chamado comparação metafórica.Ex: Meu pai é bravo como um leão.
Aquela mulher tem a voz suave como à de um pássaro.

Simples: É a comparação entre dois elementos de um mesmo universo.

Ex: Esse carro é tão veloz como aquele avião.

Metonímia: É a substituição de um nome por outro, havendo afinidade ou contigüidade.

Ex: “Nelson, nas horas de folga, lia Camões.” (obra pelo autor).

Catacrese: consiste em tomarum termo por empréstimo, na falta de outro um melhor. O termo em uso é logo adotado pelos falantes como se fosse natural.

Ex: O pneu do seu carro está careca.
Banana de dinamite.
Boca da garrafa.

Antonomásia ou perífrase: é a designação da pessoa não pelo nome, mas pela qualidade ou circunstância.

Ex: O divino mestre praticou o bem (Jesus cristo).
O rei do futebol =Pelé

Sinestesia: É uma figura que se refere às sensações que percebemos por meio do cruzamento de diferentes órgãos dos sentidos.

Ex: A luz crua da madrugada invadia meu quarto.
Um áspero sabor de indiferença.

Figuras de Sintaxe

Anáfora: consiste na repetição de uma mesma palavra no início de versos ou frases.

Ex: “Amor é um fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e nãose sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer”.
Pleonasmo: consiste em fazer uma repetição desnecessária, com o objetivo de reforçar a mensagem.
Ex: “E rir meu riso e derramar meu pranto”.
Inversão: emprega palavras em uma ordem diferente da que é habitual em língua portuguesa.
Ex: "De mãos dadas com ela vinha o homem".
“De tudo ficou um pouco.
Domeu medo. Do teu asco.”

Elipse: consiste na omissão de um termo ou expressão, mas que seja subentendido.

Ex: Empreste-me essa folha [omitiu-se de papel: folha (de papel)].
“Visitando minha casa, bom dia, e nada mais!” (Houve omissão do verbo dizer).

Zeugma: consiste na elipse de um termo que já apareceu antes.

Ex: "Nos jardins, flores sem vida”.
Meus primos conheciam todos. Eu,poucos. [Eu (conhecia) poucos]

Hipérbato: Tipo de inversão que consiste, geralmente, na separação de termos que normalmente apareceriam unidos, por meio da interposição de um elemento interferente, isto é, algo que interfere. Porém, costuma-se tomar o hipérbato como sinônimo de qualquer tipo de inversão.

Ex: Compraram as mulheres vários presentes para os maridos (aqui houve a simples inversãoentre o verbo e o sujeito).
"De bronze o coração, de aço o peito." (Frei Jerônimo Baía).

Silepse: É a concordância com a idéia, e não com a palavra escrita.

Ex: De gênero
“Vossa Excelência está preocupado”.
De número
“Os Lusíadas marcou a história de Portugal”.
De pessoa
“Os alunos somos interessados em criar um D.A.”

Anacoluto: é a figura sintática que ocorre quando um termoantecipa o fica desligado sintaticamente da oração, dado a um desvio que a construção da oração sofreu.

Ex: "É então... não sei se gostaria, mas. Talvez fosse melhor que estivesse aqui.”
“Quem ama o feio, bonito lhe parece.”
“Quem anda sem dinheiro, não arranja companheiro.”
“Comprei três sapatos, um é preto”.

Polissíndeto: repetição de conjunções.

Ex: O menino resmunga, e...
tracking img