Fichamento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3087 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
1.1 Educação como reconstrução da experiência.

1.1.1 Conceito da experiência – o universo é um conjunto infinito de elementos que relacionam de maneira a mais diversa possível. A multiplicidade e variedades dessas relações o fazem essencialmente precário, instável, e o obrigam a perpetua transformação.
Esse agir sobre outro corpo e sofre de outro corpo uma reação é, seu próprio termos, o quechamamos de experiência.
Nosso conceito de experiência, longe, pois, de ser atributo puramente humano, alarga-si à atividade permanente de todos os corpos, uns com os outros. (13)
No mundo físico, tas experiências se dão sem nenhum sentido de adaptação. Os corpos não fazem questão de conservar o seu caráter. O ferro não se esforça por continuar ferro: se entra em contato com a água, breve setransforma em bióxido de ferro. (13)
No plano da vida, já há distintamente preferência, seleção e adaptação, buscado o corpo conserva seu “Organismo”. As experiências nesse nível vegetal e animal são psicofísicos. Os corpos agem e reagem, para a conquista de um equilíbrio de adaptação. No plano humano esse agir e reagir ganha sua mais larga amplitude chegando não só a escolha, à preferência, àseleção, possível no plano puramente biológico, como ainda à reflexão, ao conhecimento é a recontrusção da experiência. Experiência não é, portanto, alguma coisa que se oponha a natureza, pela qual se experimente, ou se prove a natureza. Experiência é uma forma de interação, pela quais os dois elementos que nelas entram - situação e agente- são modificados. (13/14)
A árvore que era apenas objeto deminha experiência visual passa a existir de modo diverso se entre mim e ela outras experiências se processarem, pelas quais eu a venha conhecer em outros aspectos: úteis, medicinais, de resistências, etc.
Hart classifica nossas experiências em três tipos fundamentais.
I - O primeiro tipo é os das experiências que nos apenas temos.
Não só não chegamos a conhecer seu objeto, como, ás vezes, nem sequer sabemos que temos. O fato de que elas existem é demonstração de que a experiência é fenômeno do mundo orgânico e não qualquer coisa que somente o homem possua como instrumento para sua tentativa de conhecer o universo. (14/15)
II - O segundo tipo se constitui das experiências que, sendo refletidas, chegam a conhecimento, á apresentação consciente. Por elas, a natureza ascende a um novo nível,a que o leva o aparecimento da inteligência; ganha processo de analise, indagação de sua própria realidade, escolhe meios, seleciona fatores, refaz-se a si mesma. (15)
III – O terceiro tipo de experiência é o desses vagos anseios do homem por qualquer coisa que ele não sabe o que seja, mas que pressente e adivinha.
Todas as experiências do segundo e do terceiro grupo, graças á linguagem e ácomunicação entre os homens, formam hoje, não as experiências de A, B ou C, mas a experiência humana – acumulação muitas vezes secular de tudo que o homem sofreu, conheceu e amou.
Essa “experiência humana” fornece o material e a direção para as nossas experiências atuais. (15)

1.1.2 Processo da experiência - De inicio, a experiência envolve dois fatores – agente e situação – influindo-semutuamente um sobre o outro.
Poderíamos, assim, representá-la:

Situação nova agente
Experiência

Agente nova situação

Não podemos viver sem estar sofrendo e fazendo experiências, é que a vida toda é uma grande aprendizagem.
Simultaneamente vivemos experimentamos e aprendemos. (16)

1.1.3 Experiência educativa –A experiência educativa é, pois, essa experiência inteligente, em que participa o pensamento, através do qual se vêm a perceber relações e continuidades antes não percebidas. (16)
A experiência alarga deste modo, os conhecimentos, enriquece o nosso espírito e dá, dia a dia, significação mais profunda á vida. (17)
E é nisso que consiste a educação. Educar-se é crescer, não já no sentido...
tracking img