Fichamento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1089 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
:
VIROTE, Shirley Mar Pereira, A Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrada ao Ensino Médio: implicações das mudanças legais no Governo Lula para o IFG, 2009.

CAPÍTULO I
EDUCAÇÃO, TRABALHO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E CULTURA: A BUSCA DE UMA ARTICULAÇÃO

* Educação profissional como uma modalidade de ensino capaz de contribuir progressivamente para a superação do dualismoeducacional existente no Brasil;
* As categorias educação, trabalho, ciência, tecnologia e cultura são indissociáveis da formação humana;

Educação e Trabalho: repensando a formação humana a partir do trabalho como principio educativo
* Segundo Saviani (1995), a educação é um fenômeno humano e, para compreendê-lo, temos que compreender a natureza humana e o que a diferencia dos outros animais:* O autor esclarece, ainda, a distinção entre trabalho produtivo e improdutivo,
* Para Saviani (1995), os homens se educam, assimilam os conhecimentos que são necessários, o que acaba constituindo-os em uma segunda natureza, uma natureza humanizada, ou seja, a cultura.
* Os homens fazem história, porque são seres de necessidades; tem que ir à busca de sua subsistência e, para tanto, temque aprender.
* O trabalho educativo vai ajudá-lo a produzir;
* É no processo de aprendizagem e nas relações pedagógicas que se travam entre os homens que se faz a história.
* O que conhecemos como trabalho é o homem adaptando a natureza e a si mesmo, produzindo sua própria existência através do trabalho, determinando-a, diferentemente dos outros animais, que se adaptam à natureza.* Para Marx, a relação entre o homem e o ambiente é bidirecional e recíproca, pois ele não vê o homem-indivíduo como sujeito isolado, mas sim o homem associado.
* O problema maior, para Enguita, é mostrar que este ajuste se dá, sobretudo, nas relações sociais, principalmente a partir da Inserção do futuro trabalhador nas relações sociais de produção capitalista que se reproduzem nointerior da escola.
* Enguita (1993) considera que a escola, apesar de ser fundamental, não é o único lugar em que se dá o processo de aprendizagem, no modo de produção capitalista.
* A ideologia é, antes de tudo e principalmente, a expressão das relações sociais, particularmente das relações de produção.
* Enguita (1993) considera a ideologia produzida pela escola não como uma estruturasocial sem agentes, produto impessoal, mas com algo que deriva dos agentes das relações sociais da educação, em suas experiências cotidianas, não retificadas, mas em sua consciência individual personificada.
* A história é um processo prático, no qual os homens estabelecem relações sociais em condições determinadas, por meio das quais transformam a natureza (pelo trabalho), dividem-se em classes(proprietários e não-proprietários, determinados pela divisão social do trabalho).
* Para Chauí (1996), a ideologia é um fenômeno social que tem origem no modo de produção econômico existente, por que, ocorreu uma divisão entre dois tipos de trabalho: intelectual e material;
* “Ideologia” é um termo amplamente utilizado, sobretudo por influência do pensamento marxista, nas ciências humanase sociais em geral e na filosofia.
* Em cada tempo histórico, sob determinado modo de produção, o trabalho se organiza de uma forma: Na sua forma feudal e escravista, o sujeito não vendia sua força de trabalho; entregava-se por inteiro em troca de sua subsistência. No capitalismo, o trabalho adquire uma forma histórica de assalariamento, mediante uma forma de contrato, ou seja, a venda daforça de trabalho.
* Na visão de Frigotto, Ciavatta e Ramos (2005a, p.2) a concepção do trabalho como princípio educativo “[...] é de ordem ontológica (inerente ao ser humano) e, conseqüentemente, ético-política (trabalho como direito e como dever).”
* A forma de trabalho na ótica capitalista não é natural, que mais é produzida pelos seres humanos e se dá sob a negatividade das relações...
tracking img