Fichamento "o banquete"

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2180 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA
CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS – CCSo
DEPARTAMENTO DE TURISMO E HOTELARIA – DETUH

LAIANE SOUSA LAURIÚCHE

FICHAMENTO

SÃO LUIS
2011
PLATÃO, Banquete.
A obra O Banquete escrita por Platão, se encaixa como um diálogo sobre o tema do amor. A história se passa na casa de Agáton, em que se apresentam em seu cenário personagens importantes: Fedro,Pausânias, Erixímaco, Aristófanes, Agáton, Sócrates e Alcibíades, onde todos deveriam discursar.
Cada um dos personagens fez um discurso em homenagem ao deus Eros (deus do amor), Fedro foi o primeiro.
“Deus grande e admirado tanto pelas divindades como pelos homens é Eros. E por vários motivos, mas principalmente pela sua origem. Devemos honrá-lo e louvá-lo como a um dos mais velhos deuses, e a provadisso é que Eros não teve pai nem mãe, e que não lhe atribuem progenitores nenhum prosador ou inspirado poeta nosso.” (p.103)
Fedro iniciou o seu discurso declarando que Eros era uma divindade poderosa e admirável tanto entre os homens como entre os deuses, ele faz a justificação à moral de Eros, mas não investiga a fundo sua essência e suas formas. Com o intuito de elevar Eros, ele usa o fato dodeus não ter progenitores sendo assim o mais antigo, por esse fato caracteriza amor como causa ou fonte dos bens.
“Ouso até afirmar que, se um homem ama e comete uma ação feia ou sofre uma injúria sem a revidar, sofre muito mais com a reprovação da pessoa que ama do que com a que viesse de seu pai, de algum parente ou amigo. O mesmo se dá com o que é amado.” (p.104)
Fedro indica na relaçãoamorosa o desejo de ser visto como belo pelo seu amante. Para ele a força do amor se propaga também para a luta do desejado, onde se prefere a morte a ser visto como indigno pelo amado.
Fedro conclui em o discurso que o amor é o mais antigo, virtuoso e o mais respeitável, é o único que leva o homem para essa virtude e felicidade, nesta vida e até mesmo depois da morte.
Logo após o discurso de Fedro,Pausânias da início a sua exaltação a Eros:  censura a falta de precisão do discurso anterior e tenta uma definição concreta. Para ele, há dois tipos de Eros para os homens, um vulgar e outro sendo uma força educadora.
“[...] amam mais o corpo do que o espírito e, enfim, amam com o maior desvario que podem, dirigidos tão-somente pela concupiscência.[...]
Este é o Eros da deusa mais moça, comodisse, e esta deusa em virtude da sua origem participa tanto do masculino quanto do feminino.
O outro Eros é o da Afrodite celeste: não participa do feminino, mas unicamente do masculino, e por isso é o amor dos mancebos.” (p.108)
O Eros usual e corrente, vulgar, repudiável, é insignificante porque tende à mera satisfação dos desejos sexuais; o outro, ao contrário é de origem divina e o leva aocuidado de servir ao legitimo bem e à perfeição do amado. Segundo Eros este pretende ser uma força educadora, não apenas no sentido negativo de afastar os amantes das ações insignificantes, mas também em toda a sua essência. Deixa explicito também a rejeição que a mulher tinha na época, já que a filha de um deus e uma deusa era tida com menos importância do que a outra que nasceu de apenas um deus.Para Pausânias o amor é sinônimo de liberdade para o homem. O amante faz coisas para o amado que escravo algum aceitaria fazer. Para ele o amor é louvável, que dá total liberdade ao homem de fazer ou não certa coisas em benefício do outro.
“Este é o Eros da Afrodite celeste. É celeste e extraordinariamente benéfico tanto para os indivíduos como para o próprio Estado, pois impele ao mesmo tempoamante e amado a procuram incansavelmente a virtude e a sabedoria. Todos os amantes nascem da outra deusa, da Afrodite popular.” (p.113)
Pausânias acaba por concluir o seu discurso rebatendo o que Fedro defendeu em seu elogio incondicional sobre o amor. Para ele isso vai depender de ser dedicado a alguém mau ou de um jeito mau. Assim tudo que se faz de boa vontade e feita para adquirir sabedoria...
tracking img