Fichamento a soma e o resto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1103 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
RESUMO
O livro de Fernando Henrique Cardoso, A soma e o resto é o resultado de entrevistas, de respostas a perguntas ou de falas soltas registradas em um gravador em tom de quase desabafo ou de reações perturbadas diante das transformações do Brasil e do mundo. É o livro mais espontâneo que publicou, com declarações íntimas sobre a vida particular e política do ex-presidente que quase nunca falade suas relações pessoais. No entanto o livro esta dividido em três grandes blocos, no primeiro, caminhos, FHC rememora suas raízes familiares e influencia formadoras, no segundo, mapa-múndi, ele fala sobre as mudanças aceleradas e surpreendentes que perpassam a sociedade brasileira e o mundo contemporâneo e por fim o terceiro bloco, luzes e sombras, onde ele faz uma reflexão de caráter maisintimo sobre alegrias e tristezas, razões de orgulho e de arrependimento.

CITAÇOES
Quando escrevo falo mais do meu pai. Entretanto, foi minha mãe que marcou mais fortemente. Teve influencia marcante na construção de minha personalidade, (pag. 20)
Em minha casa a discursão politica era o pão nosso de cada dia. Minha formação intelectual foi de elite, mas meu treinamento foi de lidar com a população.Esse lado de sociólogo de campo me ajudou muito na politica, (pag, 21).
Agente pensa que vai vir o inevitável e vem o inesperado. Ser realista é reconhecer o emergente, o que surge de repente e saber se adaptar a isso, (pag. 27).
Todo exilio é uma terrível violência emocional. Fui posto para fora o pais pelos militares e pelo exercito, que pra mim era como se fosse à família, nunca um poderagressor, (pag, 29).
Se não é possível falar, vamos sussurrar. Juntos, fomos vencendo o medo. Fazendo sempre um pouco mais, conquistando um palmo mais de espaço, (pag, 38).
As utopias existem. Com o passar do tempo os sonhos vão mudando. Não da para fazer tudo, a vontade não é lei, mas isso não é a razão para se ficar conformado (pag. 41).
As sociedades não são como agua a 90°. de repente ela fervedepois esfria, requente e ferve de novo. Não há uma pulsação continua. As mudanças não se dão por ruptura, mas por acumulação (pag, 42).
Na socialdemocracia a economia era mercado, mas a sociedade era de bem-estar social. Liberdade e solidariedade reduziram as desigualdades, (pag. 43)
Se o mundo não mudou como nós imaginávamos nossos sonhos, as sociedades melhoraram. O mundo de hoje não é pior do queo do passado. É diferente (pag. 45).
O Brasil de hoje mais que uma economia emergente. É uma sociedade emergente. é o nosso país (pag, 48).
A crise econômica derrubou a social-democracia na Europa. Ela esta em crise, sem projeto. O protesto vem hoje dos indignados e explode nas praças, (pag. 54).
A liberdade como valor politico é fundamental. A liberdade econômica como lassez-fairer, semcontrapesos, é inaceitável (pag, 58).
Nos estados unidos existe hoje um abismo entre poder, economia e sociedade. Na Europa a rua se agita e protesta (pag. 65).
A utopia do futuro é a emergência da unidade como sujeito de uma ordem verdadeira global (pag, 67).
O mundo de hoje não é conformado. O mundo de gente que quer ter opinião. O mal-estar não é o de um individuo isolado. é a expressão de uma vontadede “estar”, de “bem-estar” (pag. 72).
As novas classes medias são muitas. As profissões do futuro estão sendo inventadas hoje. Não se aprendem em escolas ou universidades (pag, 77).
As formas de socialização estão mudando. Hoje o importante é compartilhar. Comunidades virtuais consistem com o mundo real (pag, 84).
Quem não reconhece as mudanças vai jugar o presente pelo passado e vai ter medo, queé uma reação diante do desconhecido (pag, 85).
As inovações tecnológicas afetam a todos de maneira imediata e direta (pag. 92).
O Brasil hoje não se define mais como uma sociedade moderna. É uma sociedade contemporânea. Ser contemporâneo é diferente de ser moderna (pag, 93).
A globalização avançou, mas a regulação politica não. Os estados nacionais não tem capacidade de controlar a especulação...
tracking img