Fichamento nicolau maquiavel

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (662 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal de Rondônia- Campus Vilhena
Departamento de Ciências Contábeis e Administração
Curso: Ciências Contábeis
Disciplina: Noções Básicas de Filosofia
Professor: Ediovani A.Gaboardi

Machiavelli, Niccolo
O príncipe e Dez cartas / Nicolau Maquiavel; organização, tradução e apresentação: Sérgio Bath. – Brasília: Editora Universidade de Brasília, c1989.

No texto étratado como um príncipe sábio deve agir para manter seu poder e se defender dos inimigos.
Pg.44 (Capítulo XV)
AS RAZÕES PELAS QUAIS OS HOMENS, ESPECIALMENTE OS PRÍNCIPES, SÃO LOUVADOS OU CRITICADOS.O autor começa dizendo que muitas pessoas já escreveram a cerca deste assunto, mas que ele também tinha algo útil a transmitir. Seu primeiro foco é sobre a bondade, onde ele escreve: “Quem quiserpraticar sempre a bondade em tudo o que faz está condenado a penar, entre tantos que não são bons.”
Para ele um príncipe usará ou não a bondade conforme for necessário, um príncipe totalmente bom nãocausará nenhum temor por parte de seus súditos e inimigos.

Pg.45 (capitulo XVI)
A LIBERDADE E A PARCIMÔNIA
Para um príncipe não ser odiado pelos seus atos ele não deve transmitir a idéia demiserável, contudo nem por isso ele deve ser totalmente liberalista. Um governo miserável causará ódio entre os governados e um governo liberal causará confusão de desordem entre o povo. Por isso existe anecessidade de manter um equilíbrio entre a liberdade e a parcimônia, elas caminhando juntas colocará um limite entre uma e outra. Isso se encaixa perfeitamente a um príncipe já que ele tem a missão deliderar um povo.

Pg.46 (capitulo XVII)
A CRUELDADE E A CLEMÊNCIA. SE É PREFERÍVEL SER AMADO OU TEMIDO.
Um príncipe considerado clemente certamente será visto com bons olhos, mas, deve-se tomarcerto cuidado quanto a isso já que a clemência excessiva pode levar um povo à destruição. Para o autor “O príncipe, portanto, não deve temer a acusação de crueldade, se seu propósito é manter o povo...
tracking img