Fichamento manifesto comunista

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1003 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Eliane Beatriz Cunha Policiano
Universidade Federal de Juiz de Fora
Assunto (TEMA): Manifesto Comunista
Referência Bibliográfica Completa:
Manifesto Comunista / Karl Marx e Friedrich Engels; organização e introdução Oswaldo Coggiola;
[tradução do Manifesto Álvaro Pina e Ivana Jinkings]. – 1.ed. revista – São Paulo : Boitempo,
2010.
Texto da ficha
O “Manifesto Comunista”, escrito pelosteóricos fundadores do socialismo científico, Karl
Marx e Friedrich Engels, é uma obra que trata a respeito da capacidade revolucionária da classe
burguesa ao expor o efeito de suas ações no âmbito de todas as relações sociais vigentes no período
anterior a seu surgimento. Em meio a uma realidade feudal e patriarcal, a burguesia surgiu
rompendo com a tradição imperativa do fervor religioso etrouxe a predominância do poder
financeiro sobre toda a hierarquia social. Instaurando aí o Capitalismo; “ Rasgou todos os
complexos e variados laços que prendiam o homem feudal a seus “superiores naturais”, para só
deixar subsistir, de homem para homem, o laço do frio interesse, as duras exigências do
“pagamento à vista” (MANIFESTO COMUNISTA, pág. 42)”. Alegando o pressuposto de
civilização detodas as nações, a classe burguesa substituiu a dignidade pessoal, considerada um
simples valor de troca, pela liberdade de comércio; o que antes se explorava através da justificativa
religiosa e política passou a ser visto como exploração econômica dos mais diversos trabalhadores,
que se tornaram assalariados. Neste contexto, Karl Marx analisa a realidade burguesa como sendo
aquela que trouxeconsigo aspectos positivos, mas também e, principalmente, outros negativos. A
partir de então, há que se falar sobre a dialética, afinal, a burguesia transformou tudo em
máquina/mercadoria, o que nos tornou estúpidos, pois que passamos a ser – então – dependentes de
tais inovações. Assim, a própria burguesia criou as forças que viriam a destruí-la, produziu seus
próprios coveiros (operariado),agindo como o feiticeiro, incapaz de controlar os poderes ocultos
desencadeados pelo seu feitiço.
Nessa linha de raciocínio, diz-se que o capitalismo levou à alienação do homem, pois que
esse já não tem mais conhecimento sobre todas as técnicas de produção daquilo que consome.
Acrescenta-se ainda, que é a propriedade privada a responsável por manter tal estrutura de
alienação intrínseca aocapitalismo. Nesse contexto dialético e de alienação, Marx desenvolve a
teoria do materialismo dialético, em que a luta de classes (operariado x burguesia) e o
desenvolvimento das forças produtivas se relacionam. Nesse sentido, os homens se interagem a fim
de satisfazer suas necessidades (constituindo uma relação de dominador/dominado que será
apontada no próximo parágrafo), o que significadizer que, a infraestrutura (o modo de produção da
vida material – capitalismo) condiciona a superestrutura (vida social, política e intelectual em geral
– plano ideológico e/ou institucional) através de uma relação dialética. Ou seja, o ideal social altera
quando o modo de produção é alterado.
Em se falando da dialética infraestrutura/superestrutura, prescinde que falemos sobre a
sociedade, queé síntese dessa relação. Porém essa sociedade é “fragmentada”, uma vez que se

divide em classes sociais quando uma parte do grupo se apropria dos meios de produção; aqui
explicamos o motivo pelo qual dizemos que a propriedade privada dá origem às classes sociais. A
partir de então, esse grupo dominador representará a ideia da sociedade, difundindo uma visão de
mundo e valores próprios; é aconcretização da ideologia da classe dominante que legitima e
consolida seu poder sobre as demais.
Com isso, Marx defende que a ordem burguesa deve ser suplantada uma vez que, surgida
das ruínas da sociedade feudal, não veio a abolir as divergências entre classes, mas sim a substituir
as velhas. Devido a isso, Marx diz que “ a história de todas as sociedades que existiram até os
nossos...
tracking img