Farmacologia respiratoria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2706 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Escola de Medicina

Farmacologia Clínica

ED de Farmacologia Respiratória

1.

a. Faça um protocolo de tratamento para esse paciente.

O tratamento deve conter:
▪ Antibioticoterapia
▪ Broncodilatadores
▪ Corticosteróides sistêmicos em alguns casos
▪ Teofilina ou aminofilina (opcional)
▪ Mucolíticos (em alguns casos)
▪ Ventilação não-invasiva, quandonecessário
▪ Ventilação invasiva, quando necessário

Base para a abordagem terapêutica da DPOC:
▪ Abstinência ao tabagismo
▪ Tratamento farmacológico das exacerbações
▪ Tratamento farmacológico crônico
▪ Programas de reabilitação cárdio-pulmonar
▪ Oxigenioterapia nos pacientes francamente hipoxêmicos
▪ Avaliação da indicação de transplante pulmonar ou cirurgiapneumo-redutora

Objetivos no tratamento da DPOC agudizada:
▪ Tratar
✓ Infecção
✓ TEP - trombo embolismo pulmonar
✓ Pneumotórax
✓ Isquemia cardíaca
✓ Arritmia
✓ ICC
▪ Melhorar a oxigenação do paciente
✓ Manter Sa02 entre 90 e 92%
▪ Diminuir a resistência das vias aéreas
✓ Broncodilatadores
✓ Corticóides
✓ E fisioterapiarespiratória
▪ Melhorar a função da musculatura respiratória
✓ Suporte ventilatório não invasivo
✓ Nutrição adequada
✓ Ventilação mecânica

Terapia específica:
▪ Antibioticoterapia
Quando indicar a antibiotico-terapia na exacerbação da DPOC?
Quando houver pelo menos duas das seguintes condições:
✓ Aumento do volume do escarro
✓ Alteração do seu aspecto parapurulento
✓ Aumento da intensidade da dispnéia
As bactérias são responsáveis por 2/3 das infecções registradas e os vírus, por 1/3 dos casos; Em 50% dos casos a bactéria implicada é o Haemophylus influenzae; O Streptococcus pneumoniae e a Moraxella catarrhalis são responsáveis pelos 50% restantes

As opções são:
✓ Amoxicilina-clavulanato - Clavulin
✓ Cefalosporinas de 2ª geração(cefuroxime) ou de 3ª geração (ceftriaxone)
✓ Macrolídeo de nova geração - azitromicina, claritromicina
✓ Ou quinolona de nova geração - levofloxacina, gatifloxacina, moxifloxacina

Alternativas:
✓ Sulfametoxazol-trometoprim
✓ Cloranfenicol
✓ Doxiciclina

▪ Broncodilatadores
Deve-se prescrever a associação de β2-agonistas de curta ação com o anticolinérgico brometo deipratrópio. Estes devem ser administrados por via inalatória, seja por nebulização seja por spray de aerossol.
✓ Salbutamol
✓ Fenoterol
✓ Terbutalina

▪ Corticosteróides sistêmicos
Estudos COMPROVARAM os seguintes efeitos benéficos dos corticóides sistêmicos na exacerbação aguda da DPOC:
✓ Aumento do VEF1,0
✓ E melhora da dispnéia

▪ Aminofilina
Por apresentarefeitos:
✓ Analéptico respiratório - Aumento da contratilidade diafragmática
✓ Broncodilatador
✓ E ativador do movimento ciliar

A metil-xantina venosa pode ser administrada como droga adjuvante nos casos mais graves, porém deve ser ressaltado o seu potencial de grave toxicidade.

▪ Mucolíticos
Os estudos NÃO MOSTRARAM benefício do uso dos mucolíticos na exacerbação agudada DPOC

▪ Oxigenioterapia
A exacerbação aguda da DPOC freqüentemente cursa com hipoxemia, por isso, praticamente todos os pacientes devem receber suplemento de oxigênio para manter a Sa02 entre 90-92%

Indicações de intubação traqueal e ventilação mecânica invasiva na DPOC:
▪ Dispnéia grave, com uso importante da musculatura acessória
▪ Freqüência respiratória > 35 ipm
▪Hipoxemia muito grave: Pa02 < 40mmHg após oferta de 02
▪ Acidose grave: pH < 7,25, com PaC02 > 60mmHg
▪ Sonolência, estado mental debilitado
▪ Outras complicações graves (sepse, pneumonia extensa etc.)
▪ Insuficiência da Ventilação não-invasiva com pressão positiva - VNPPI

Condições indicativas de internação
▪ Insuficiência respiratória aguda grave.
✓ Aumento...
tracking img