Farmacia oncologica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 31 (7659 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Farmácia Hospitalar

FARMACÊUTICO
EM ONCOLOGIA:

INTERFACES
ADMINISTRATIVAS
E CLÍNICAS
Cinthya Cavalcante de Andrade
cinthya@hospcancer-icc.org.br
Instituto do Câncer do Ceará
Rua Papi Júnior, 1222 Rodolfo Teófilo
CEP:60430-230
Fortaleza – Ceará

Farmacêutica pela Universidade Federal do Ceará
Especialista em Farmácia Hospitalar pela Universidade Federal do Ceará
Gerente doServiço de Farmácia do Instituto do Câncer do Ceará

FARMACOVIGILÂNCIA HOSPITALAR:
Como implantar

I. INTRODUÇÃO
O farmacêutico vem ampliando a sua
área de atuação, no universo da oncologia,
desde a década de 90, quando o Conselho
Federal de Farmácia estabeleceu como privativa deste profissional a manipulação de
medicamentos citotóxicos, através da Resolução 288/96. Este foi o primeiro grandepasso para que o farmacêutico assumisse o
espaço na área.
Houve, então, o fortalecimento da classe,
em virtude da criação da Sociedade Brasileira de Farmacêuticos em Oncologia (Sobrafo), que veio a dar suporte técnico-científico
a estes profissionais.

A Anvisa publicou, em 21 de Setembro
de 2004, a Resolução 220/04, estabelecendo
uma legislação de âmbito nacional, regulamentando ofuncionamento dos serviços de
terapia antineoplásica e instituindo a equipe multidisciplinar em terapia antineoplásica (EMTA).
Podemos citar, aqui. também, a Portaria
3535/98, do Ministério da Saúde, que determina que todo serviço de alta complexidade
no tratamento do câncer, cadastrado pelo
Sistema Único de Saúde (SUS), deve contar
com um farmacêutico, no caso de manipulação de quimioterápicos.II. O FARMACÊUTICO HOSPITALAR
NO UNIVERSO DA ONCOLOGIA
Em oncologia, o farmacêutico é o principal instrumento para a qualidade da farmacoterapia. Suas atribuições excedem a
simples dispensação da prescrição médica,
ou ainda a manipulação propriamente dita.
Sua atuação é importante em várias etapas
da terapia antineoplásica, a saber:

1. Seleção e padronização de
medicamentos emateriais
O farmacêutico, ao conhecer efetivamente os protocolos terapêuticos e de suporte
na terapia antineoplásica, tem a responsabilidade na seleção de produtos que atendam
as exigências legais, na averiguação do cumprimento das boas práticas de fabricação
pelo fornecedor, na avaliação técnica e na

2

Pharmacia Brasileira - Março/Abril 2009

notificação de queixas técnicas aos órgãosreguladores.

2. Auditorias internas
O farmacêutico, também, é o responsável
por realizar auditorias internas, no que diz
respeito à estrutura da área de preparo de
quimioterapia, estocagem de medicamentos
e manutenção preventiva de equipamentos,
de acordo com as necessidades operacionais e normas estabelecidas pela legislação
vigente.

3. Informação sobre
medicamentos
O farmacêutico assumea função de avaliar a bibliografia, veiculando informação

FARMACOVIGILÂNCIA HOSPITALAR:
Como implantar

isenta e segura, de fontes confiáveis, contribuindo para o aprimoramento da qualidade
das condutas de prescrição e terapêuticas.
O farmacêutico atua no processo de comunicação, fornecendo aos membros da equipe
multidisciplinar informações sobre farmacocinética, farmacodinâmica, dosesusuais,
formas e vias de administração, doses máximas, toxicidade acumulativa, incompatibilidades físicas e químicas com outras drogas
e estabilidade de medicamentos.
Em virtude dos avanços tecnológicos e da
descoberta de novas terapias, é disponibilizado aos pacientes um amplo espectro de
opções terapêuticas empregadas na prevenção e minimização dos principais sintomas
que ocorrem, após aquimioterapia. Diante
do exposto, as orientações farmacêuticas
são imprescindíveis para que se obtenha o
melhor resultado dentro da posologia prescrita e do protocolo terapêutico proposto.

4. Manipulação dos agentes
antineoplásicos
No que diz respeito ao preparo dos medicamentos antineoplásicos, este deve ser
realizado com técnica asséptica, em ambiente com infra-estrutura apropriada,...
tracking img