Fafe

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3657 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de fevereiro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

Trabalho de pesquisa realizado no âmbito da disciplina de Património Cultural do 2ºAno - 1º Semestre da Licenciatura em Educação Sénior 
 
 
 
 
 
 
Fafe, Outubro 2010
Bibliografia em análise: As freguesias do Distrito de Braga nas Memórias Paroquiais de 1758
Autor: José Viriato Capela
Critérios a avaliar: Fafe nas Memórias Paroquiais de 1758 - Paróquia de S. Estevão de Regadas 
a. ) – A Terra: Geografia Física, Económica e Politica, Administrações, População, Equipamentos e Recursos;
 
b. ) – A Serra: Nome, Extensão, Recursos e Seus Aproveitamentos;
 
c. ) – Os Rios: Caudais, Navegabilidade, Riquezas Piscatórias, Equipamentos de Moagem, Utilidades para Regas, Qualidade das Pontes, Condições de Transito eAcessibilidades;
 

Introdução

A paróquia como quadro da descrição territorial

As Memórias Paroquiais de 1758, dão-nos um retrato fundamental, do país após o terramoto de 1755.

Nestas memórias, estão reunidas as respostas ao inquérito mandado elaborar pelo Rei D. José I, através dos Bispos das dioceses, alcançando assim todas as paróquias.

A paróquia era e ainda é a mais coesa e homogénea unidadeterritorial e social da vida das populações. O inquérito de 1758, elaborado pelo Padre Luís Cardoso, teve uma eficácia e qualidade sem precedentes. Para alcançar esta marca, foi decisiva a colaboração mais ou menos voluntária dos párocos das aldeias e das hierarquias das Dioceses. O projecto recorreu-se das estruturas da igreja, alicerçadas nos párocos, as únicas capacitadas para o efeito.

ORei D. José I e o seu Ministro Sebastião José de Carvalho e Melo, futuro Marques de Pombal, no sentido de alicerçar um poder mais forte, mais centralizado e absoluto, tinham necessidade de alargar o conhecimento sobre o território e os seus povos. Os dados recolhidos pelo inquérito de 1758, que continham muitas e preciosas informações de carácter administrativo, económico e social, foram mandadasdirigir directamente ao Governo, indiciando assim o interesse da governação nas respostas, como suporte do reforço da centralização do poder.

O inquérito de 1758, divide-se em três partes. A primeira tem 27 perguntas dirigidas às paróquias, onde se pretende saber: a Geografia física da terra (pontos 23, 24, 25,26), a Geografia do território (4, 6, 21), a Geografia económica (19), a Geografiapolitica (1,2); informações sobre a administração religiosa (8, 9, 10, 14) e a Administração civil (16, 17); informações relativas à População (3, 5); informações relativas aos equipamentos (12, 13, 19 20); informações relativas aos Recursos (15); os itens (18, 22, 27) recolhem informações sobre a história e as personalidades.

Respostas do Reitor António Vieira da Silva da Paróquia de SantoEstêvão de Regadas, em 6 de Abril de 1758

Satisfazendo a ordem do muito reverendo Senhor Doutor Provisor do Arcebispado de Braga Primaz, meu digníssimo prelado, respondo aos interrogatórios impressos que, com a mesma ordem, me foram entregues pelo modo e forma seguinte.

1 – Respondo na Província de Entre Douro e Minho, Arcebispado de Braga primaz, comarca de Guimarães, termo da vila deCelorico de Basto, freguesia de Santo Estêvão de Regadas, donde sou indigno pároco e como tal dou reposta ao que se manda perguntar.

2 – Esta minha freguesia como dito está, é termo da vila de Celorico de Basto, de quem é senhor ao presente o excelentíssimo senhor Marquês de Valença e Conde da mesma.

3 – O número de pessoas desta minha freguesia é quatrocentas e sessenta e seis, entrando osmenores.

4- Esta minha igreja está situada num lugar que com respeito ao poente fica levantado e em relação ao nascente fica quase em vale pela sua situação ser nas fraldas de um monte.

5 – Já fica respondido que esta minha freguesia é termo da vila de Basto que se compõem de 35 freguesias. E pela sua extensão ser tanta tem tido por varias vezes juiz de fora e de presente se acha com juízes...
tracking img