Etnocentrismo e o apartheid

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1985 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Gustavo Conceição









ETNOCENTRISMO













UBERABA-MG
2010
UNIVERSIDADE DE UBERABA


Gustavo Conceição








ETNOCENTRISMO
Trabalho apresentado ao curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Uberaba, como parte dos requisitos para avaliação na disciplina deAntropologia e Sociologia da Arquitetura e do Urbanismo.


ORIENTADOR: Gilson.

















UBERABA-MG
2010
SUMÁRIO

1. Introdução;
2. Etnocentrismo: conceito;
3. Uma triste manifestação do Etnocentrismo: o Apartheid;
1. O Apartheid e suas leis
2. A ilha de Robben: a prisão dos negros;
3. O massacre de Sharpeville;4. As grandes manifestações ao fim do Apartheid;
4. Conclusão;
5. Bibliografia.























1. INTRODUÇÃO

Este trabalho tem por objetivo apresentar o conceito de Etnocentrismo e desenvolver um estudo de caso sobre o Apartheid, movimento político de segregação das raças na África do Sul.2. ETNOCENTRISMO: CONCEITO


Quando os europeus depararam-se com os ameríndios, estes foram totalmente julgados pelo modo como viviam. Entretanto, esse julgamento baseava-se na forma de vida de quem julgava, e não no valor das diferenças entre eles. Surge, então, o conceito de Etnocentrismo. Esse conceito sugere que um indivíduoou grupo avalie outro de acordo com seus próprios princípios, valores e costumes. A atitude de julgar alguém tendo como base seus próprios hábitos, pensamentos e opiniões, considerando estes superiores aos alheios, é a base do etnocentrismo.
Os sentimentos de medo e estranheza perante algo ou um grupo social, por exemplo, são resultados de um instinto etnocêntrico presente no ser humano quejulga e avalia o outro de acordo com o que é considerado correto e adequado por si mesmo.
Segundo o autor Everardo Rocha, “... a colocação central sobre o etnocentrismo pode ser expressa como a procura de sabermos os mecanismos, as formas, os caminhos e razões, enfim, pelos quais tantas e tão profundas distorções se perpetuam nas emoções, pensamentos, imagens e representações que fazemos davida daqueles que são diferentes de nós.”.
Para ele, “... este problema não é exclusivo de uma determinada época nem de uma única sociedade...”.
Com o passar dos anos e com o aumento da população mundial, inúmeros casos etnocêntricos surgiram na história e, na maioria deles, as consequências foram devastadoras.






















3. UMA TRISTE MANIFESTAÇÃO DOETNOCENTRISMO: O APARTHEID


O apartheid refere-se a uma política de discriminação racial adotada na África do Sul, na segunda metade do século XX. Em mil quatrocentos e oitenta e sete, quando o navegador português Bartolomeu Dias dobrou o cabo da Boa Esperança, os europeus chegaram à região da África do Sul.
Nos anos seguintes, a região foi povoada pelos colonizadores bôeres (tambémdenominados Afrikaners), que dizimaram as populações Autoctones (grupos tribais indígenas) e tomaram suas terras. Os líderes Afrikaners converteram um preceito religioso cristão que, a princípio, estabelecia a segregação como uma forma de preservar as populações tribais da influência dos brancos, em uma ideologia nacionalista que pregava a desigualdade e a separação racial.
Os Afrikanersconsideravam-se a verdadeira e autêntica nação - ou Volk que, em alemão, significa povo. A cor e as características raciais eram os critérios que determinavam o domínio da população branca sobre os demais grupos sociais e acentuavam a imposição de uma estrutura de classe baseada no trabalho escravo.


































1. O APARTHEID E SUAS LEIS...
tracking img