Estudo ambiental da bacia de sirinhaem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 107 (26606 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Laudo Biológico para Determinação da Área de Influência do Estuário do Rio Sirinhaém – PE

Recife, junho de 2008.

ÍNDICE 1. Introdução 2. 3. 3.1 3.2 3.3 4. 4.1. 4.2. 4.2.1. 4.2.2. 4.2.3. 4.2.4. 5. 5.1 5.1.1 5.1.2 5.1.3 5.1.4 5.1.5 5.2 5.2.1 5.2.2 5.2.3 5.2.4 5.3 5.3.1 5.3.2 5.3.3 5.3.4 5.3.5 5.3.6 Equipe Técnica Localização Bacia do rio Sirinhaém Município de Ipojuca Município de SirinhaémBase Teórica Histórico de Ocupação Reserva Extrativista Conceituação Plano de Utilização Plano de Desenvolvimento Condicionantes Legais Caracterização Ambiental da Bacia do rio Sirinhaém Aspectos do Meio Físico Clima Geologia e Geomorfologia Solos Hidrografia Zona Estuarina Aspectos do Meio Biótico Vegetação Vegetação no Interior das Ilhas Fauna Recurso Pesqueiro Aspectos do Meio Sócio-EconômicoPopulação Saúde Pública e Saneamento Infra-estrutura de saneamento Abastecimento de água Patrimônio Histórico, Cultural e da Paisagem Caracterização da Comunidade Ribeirinha

1 1 1 1 3 3 4 4 6 6 7 8 9 11 11 11 12 16 19 22 25 25 32 39 46 53 53 55 56 59 61 62

6 7 8 9

Estado de Conservação dos Ecossistemas Ameaças, Conflitos e Impactos Ambientais Recomendações Bibliografia

66 66 72 75ÍNDICE DE FIGURAS Figura 01: Mapa de localização da bacia do rio Sirinhaém – PE. (Fonte: CPRH, s-d) Figura 02: Localização do estuário do rio Sirinhaém – PE (Fonte: Google Earth) Figura 03: Antigo cais utilizado pela Usina Trapiche. Out/2007 (LO) Figura 04: Isoietas médias anuais na bacia do rio Sirinhaém. (Fonte: Inventário da bacia do rio Sirinhaém (2006), apud ANEEL (2001)). Figura 05:Distribuição das precipitações médias mensais para as estações pluviométricas de Sirinhaém, Gameleira, Cortês, e Barra de Guabiraba. Figura 06: Localização da Bacia Pernambuco. (Fonte: Nascimento, 2003) Figura 07: Mapa geológico do município de Sirinhaém (Fonte: CPRM, 2005) Figura 08: Mapa geológico do município de Ipojuca (Fonte: CPRM, 2005) Figura 09: Arcabouço estrutural simplificado da Bacia de Pernambucocom os diferentes estilos estruturais definidos para o contato entre a Formação Cabo e o embasamento pré-Cambriano. Na região de Rio Formoso e Sirinhaém as falhas são normais de alto ângulo. (Fonte: Nascimento, 2003) Figura 10: Mapa de solos do Município de Ipojuca (Fonte: Embrapa, site oficial) Figura 11: Mapa de solos do Município de Sirinhaém (Fonte: Embrapa, site oficial) Figura 12: Faixaciliar com Inga vera , Spondias monbim e fruteiras cultivadas na margem direita do rio Sirinhaém, PE (Foto: Isabelle Meunier). Figura 13: Paullinia pinnata encontrada nas margens do rio Sirinhaém – PE. (Foto: Luiz) Figura 14: População de aninga nas margens do rio Sirinhaém, a montante do arquipélago fluvial Figura 15: Canavial, roçado de macaxeira e bananeiras nas proximidades do manguezal do rioSirinhaém - Pe (Foto L. Amorim) Figura 16: Plantio de cana chegando às bordas do manguezal do estuário do rio Sirinhaém (Foto (1) Luiz, (2) L.Amorim) Figura 17: Aspecto geral do manguesal no estuário do rio Sirinhaém – PE (Foto M. Grillo) Figura 18: Área de domínio da Laguncularia, com destaque para sua floração e fruto. (Foto M. Grillo) 2 4 11 11 12 13 14 15 18

20 23 28 28 28 28 29 30 31 Figura 19: Exemplo de áreas com presença de Conocarpus. (Foto M. Grillo) Figura 20: Área com domínio de Avicennia. (Foto M. Grillo) Figura 21: Acacia cf. melanoxylon R.Br., encontrada no interior da ilha Grande (Foto:M.Grillo) Figura 22: Exemplos de arvores frutíferas encontradas na interior das ilhas do estuário do rio Sirinhaém (mangueira, jenipapeiro e coqueiros) (Fotos Luiz e M.Grillo) Figura 23:Detalhes das áreas onde vem se realizando um reflorestamento com predomínio de ingá (a), corte de coqueiros (b), placa indicativa da UC (c), e coroamento de mudas (d). (Fotos M.Grillo) Figura 24: Marcas de picadas em coqueiro do Picapau-de-cabeçaencarnada (Dryocopus lineatus), freqüente na região. “Foto do picapau Figura 25: Corre-campo (Philodryas nattereri), espécie muito comum na AID do...
tracking img