Estrutura de capitais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2972 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ESTRUTURA DE CAPITAL
A estrutura de capital está totalmente relacionada com o lado direito do balanço patrimonial, que representam as fontes de capital, exceto o passivo circulante. Seu estudo, seja por seu papel central em finanças, seja por seu caráter geral em relação às decisões relativas á vida da empresa, reflete como poucos a evolução conceitual desta disciplina e revelam acomplexidade do tema, e as opiniões divergem em alguns aspectos.


A estrutura de capital, é o modo como as empresas levantam recursos para realizar os dispêndios de capital, através das proporções de financiamentos com capital próprio e de terceiros de curto e longo prazo.


Por se admitir que os recursos do passivo circulante visem primeiro suprir as necessidades financeiras sazonaisdas empresas, o critério de financiamento a demanda por recursos de natureza permanente. Em verdade, o critério de financiamento do ativo total da empresa é o sugerido pela abordagem do equilíbrio financeiro, no qual os recursos de longo prazo financiam necessidades também de longo prazo, e fontes de curto prazo lastreiam aplicações de mesma maturidade.


É importante saber tomardecisões, quanto a estrutura de capital a escolher, pois uma decisão mal tomada, pode ter como conseqüência um custo elevado de capital, fazendo com que diminua o VPL, ao passo que uma decisão bem tomada eleva o VPL.




PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE CAPITAL PRÓPRIO E CAPITAL DE TERCEIROS

• O capital de terceiros não influência nas decisões da administração, já o capital próprio sim;
• Emrelação aos direitos sobre os resultados e ativos, o capital de terceiros tem preferência, pois primeiro de paga os juros e amortizações, depois que será decidido sobre a distribuição ou não de dividendos;
• Já na questão do prazo, para o capital terceiros é sabido o vencimento e para o capital próprio não há vencimentos;
• No aspecto fiscal, como os juros são considerados despesasdedutíveis da base de cálculo do imposto de renda, fazendo com que diminua o custo do financiamento no capital de terceiros, e contrariamente, o capital próprio, por ser dividendos, não são dedutíveis para fins fiscais, tornando-o mais elevado. Ainda complementando o aspecto fiscal, Assaf Neto (2008a, p. 411) afirma que “com isso, o custo de capital de terceiros reduz-se pela economia de imposto derenda, permitindo maior capacidade de alavancagem dos resultados”.




MOTIVOS PELO QUAL OS CUSTOS DE FINANCIAMENTO DO CAPITAL PRÓPRIO SÃO MAIORES QUE O DE TERCEIROS


Um dos motivos é que os fornecedores de capital próprio assumem riscos maiores em vista da posição subalterna de seus direitos sobre os resultados e ativos. Outro motivo é que os dividendos pagos a acionistas ordinários epreferências não são dedutíveis para fins fiscais.




CUSTO DE CAPITAL


Como o próprio nome sugere, é o custo que a empresa paga para se financiar, ou através de capital próprio ou através de capital de terceiros, que proporcionam custos diferenciados conforme a características de cada fonte. São os retornos exigidos pelos credores e os proprietários da empresa. Ele é um fatorimportante na tomada de decisões para aprovação ou não de novos negócios, visto que esses novos negócios terão que ter um retorno superior aos custos. É preciso saber de início o custo de cada fonte de recursos.escolhida pela empresa, e a partir daí definir a taxa de retorno para as decisões de investimento.



ORÇAMENTO DE CAPITAL


Tendo em vista a necessidade que as empresas têm queinvestir, o orçamento de capital avalia os financiamentos e os seleciona de modo que o objetivo de maximização da riqueza dos proprietários da empresa seja mantido.




AS TÉCNICAS MAIS CONHECIDAS DE ORÇAMENTO DE CAPITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SÃO:


• Período de payback: tempo necessário para recuperar o investimento. Para ser aceito o período de payback tem que ser menor que o...
tracking img