Estagio em bairros

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2504 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO


Os profissionais de assisistência social tem como dispositivo para desencadear ações no sentido de provocar transformações na vida das pessoas determinados instrumentais técnicos operativos que vão facilitar de maneira concreta e efetiva a sua tomada de decisão diante das causas sociais apresentadas pela população usuária.
Dentro desta perspectiva dosinstrumentais aparece como de fundamental importância a prática das visitas domiciliares junto as famílias carentes que estão inseridas em regiões que apresentam risco social propiciando a coleta de dados através da entrevista que oferece a oportunidade de ampliar as interrogações e dimensionar o campo da investigação.
Foi usando estes instrumentais da entrevista e também das visitasnos domicílios que foi desenvolvido o trabalho do Projeto de extensão no bairro Povoado São Geraldo II, do dia 09 de julho a 10 de agosto do ano de 2012 como forma de cumprir o estágio curricular obrigatório que compõe a grade curricular do curso de Serviço Social.
Este modelo de investigação através da entrevista é uma técnica que visa compor a história de vida dos habitantes eprincipalmente levar o profisssional de assistência social a definir os procedimentos metodológicos e que vão colaborar no diagnóstico final que é a montagem de um projeto que venha satisfazer as necessidades da maioria.
O projeto analisou dados socioeconômicos, e, também dados relacionados à questão da saúde, da cultura e da educação, da ocupação e habitação a fim de identificar asdemandas do Serviço Social em seu campo de atuação. Para efetivação do Projeto realizamos entrevistas durante visitas

institucionais e domiciliares a fim de obter melhores condições de análise da realidade local e possíveis identificações de demandas do bairro.








DESENVOLVIMENTO



O bairro São Geraldo II, situado na região sul do município de Montes Claros, Br 35saída para Pirapora que foi alvo da investigação social apresenta especificidade de uma região que revela muitos sinais de pobreza, a começar pela infra estrutura que não oferece condições dignas de moradia e acesso para a grande maioria da população que ali residem. São mais ou menos 2.000 habitantes em 596 domicílios. Àreas abrangentes: Palmital, Furaguela, Canto do Engenho, Extrema, Claraval,Mato Verde, Riacho Fundo, Gameleira I e II, Lagoa de Freitas, 3 irmãos, Monte Sião, Boqueirão do Bonito.
Esta situação sócio econômica observada está fundamentada nas visitas domiciliares e também nas entrevistas feitas junto aos moradores daquela região. Este modelo de investigação possibilita aos profissionais de assistência social e também aos acadêmicos que estão realizando aprática profissional através do estágio curricular obrigatório de realizar importantes diagnósticos sobre a região e também particularizar a situação de vida das famílias visitadas.
O instrumental da visita domiciliar é muito discutida pela bibliografia especializada que trata das questões sociais pois consiste num dos instrumentos mais indicados para que os acadêmicos e o próprioprofissional
começe a trabalhar o individuo dentro do contexto da familia e da comunidade em que está inserida como as questões que tratam da assistência a sua saúde, a assistência social de forma geral e também temas que envolvem a educação, direito a moradia e o acesso a programas sociais.
É através da entrevista realizada dentro do contexto do domicílio que muitas demandas oureivindicações dos moradores vão poder ser estudadas e avaliadas para que se possa construir um projeto de intervenção que venha trazer satisfação e dignidade para a grande maioria das famílias que estão vivendo dentro desta região que apresenta uma incomensurável vulnerabilidade social.
As entrevistas que ali foram realizadas foi de grande utilidade no sentido de agrupar os dados coletados...
tracking img