Ensaio da curva da bomba

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1627 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Sumário
I - Título 2
II - Objetivo 2
III - Introdução 2
IV - Teoria 2
V - Parte experimental 5
Materiais utilizados 5
Procedimento Experimental 5
VI - Resultados e analise de dados 6
1. Fazer as tomadas de tempos. 6
2. Calculo da vazão para 40 litros em [L/s]. 6
3. Convertes vazão de L/s para m3/s (dividir por 1000) 6
4. Calcular velocidade e velocidade média 6
5.Calcular o número de Reynolds 7
6. Calculo do (f) 7
7. Calcular o coeficiente "c" 8
8. Calcular a perda de carga (h) [m] 8
9. Comprimento equivalente 9
VII. Gráfico da curva da bomba 10
VIII - Discussão e conclusão 11
IX - Referências Bibliográficas 12
X – Gráfico de Moody-Rouse para pesquisa 13

I - Título
Curva da bomba
II - Objetivo
Fazer o gráfico da curva da bomba.
III -Introdução
Este ensaio foi realizado no dia 01° de Setembro de 2012 no laboratório de mecânica dos fluidos da Universidade Paulista - Unip - Campus Flamboyant. Nesse experimento tem a finalidade de determinar na pratica e na teoria o gráfico da curva da bomba, utilizando a vasão, onde a velocidade é determinada através da relação entre a vasão e o tempo cronometrado no experimento. Com a velocidademédia calculada iremos calcular o numero de Reynolds (Re), o coeficiente de perda de carga distribuída (f) e a rugosidade do sistema (K). Para uma maior precisão nos resultados experimentais faremos dez tomadas de tempo, para que possamos obter uma média mais precisa o que é comum em todos os ensaios feito em laboratório.
IV - Teoria
Na primeira parte iremos calcular a vazão, então calcularemosa vasão de cada tomada de tempo utilizando a fórmula abaixo:
Qi=∀ti
Equação 1 - Calculo da vasão
Onde:
Qi = Vasão volumétrica de cada tomada de tempo [L/s];
∀ = volume [L], estipulado em 40 litros para cada tomada de tempo;
ti = todas de tempo [s].
Após calcularmos as dez vasões calcularemos a vasão média utilizando essa fórmula abaixo:
Q=i=110Qi10
Equação 2 - Calculo da vasão médiaOnde:
Q = vasão volumétrica média [L/s].
Temos que passa de [L/s] para [m3/s]. Então dividimos por 1000.
Com o valor da vasão média iremos calcular a velocidade, lembrando que para isto precisamos do valor a área de secção transversal do tudo, como a tubulação é circular utilizaremos a equação:
A=πD24
Equação 3 - Calculo da área de secção transversal da tubulação
Enfim determinaremos avelocidade média com a equação:
V=QA
Equação 4 - Calculo da velocidade média
Onde:
A = área da secção transversal [m2]
D = diâmetro interno da tubulação [m]
V = velocidade média [m/s]
Na segunda parte iremos determinar o número de Reynolds utilizando a equação:
Re=c.μ.Li.VD2.2.g.ρ
Equação 5 - Calculo do número de Reynolds
Onde:
Re = número de Reynolds [adimensional];
DH = diâmetro hidráulico[m], que olhando da tabela do conduto circular é igual ao diâmetro da tubulação D = DH = 0,0254 [m];
μ = viscosidade Absoluta da água a 30° C de temperatura [N.s/m2], e vale μ = 0,00103 [N.s/m2]
Na teoria o número de Reynolds determina qual o tipo de escoamento estamos trabalhando, se Re<2000 será laminar, 2000<Re<2400 estará no regime de transição do laminar para o turbulento eRe>2400 será turbulento.
Caso o número de Reynolds for menor que 2400 utilizaremos o coeficiente c=64, se o regime for turbulento, ou seja, maior q 2400 calcularemos o coeficiente “c” utilizando a formula.
c=f.Re
Equação 6 - Coeficiente c
Então precisaremos calcular o coeficiente de perda de carga f.
Utilizaremos a formula:
DHK
Equação 7 - Equação para encontrar o f

Dh= o diâmetro datubulação, 1 polegada ou 2,54 cm;
f = coeficiente de perda de carga distribuída [adimensional];
Iremos calcular a energia (h)
h=c.μ.Li.VD2.2.g.ρ
Equação 8 – Energia
Li = comprimento da tubulação utilizada no ensaio [m], nesta parte utilizamos uma tabela de conversão de comprimento equivalente para válvulas e conexões (Leq).
Com dos dados da energia e da velocidade média calculados neste ensaio...
tracking img