Empregabilidade para deficientes auditivos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (374 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
EMPREGABILIDADE PARA DEFICIENTES AUDITIVOS

Atualmente, a deficiência auditiva está presente no mundo. Cerca de 1,7 milhões de brasileiros e 7% da população mundial são deficientes auditivos.Infelizmente há certo preconceito com pessoas deficientes (seja ela visual, auditiva ou intelectual), dificultando o convívio deles nas comunidades. A dificuldade de comunicação de um deficiente auditivo éa principal explicação que os proprietários de empresas dão quando se pergunta o motivo de não haver empregados com esse tipo de problema. Sabemos que pessoas que não tem a audição plena ou parcial,na maioria das vezes são mais concentradas e atenciosas, pois necessitam dessas qualidades para compreender o que outros querem dizer (através de Sinais, LIBRAS ou leitura labial). Em empresas degrande porte é obrigatória a presença de deficientes auditivos, conforme o numero de empregados. Essa medida propõe a inclusão de “surdos” no mercado de trabalho, sendo tal medida fundamental, pois há umamelhora tanto para a empresa (empregados com uma nova língua, que podem atender clientes com esse tipo de deficiência), quanto para o empregado (oportunidade de emprego melhora a autoestima e acomunicação com pessoas que não tem esse tipo de doença). A APADA (Associação de Pais e Amigos do Deficiente Auditivo) indicou alguns estabelecimentos que têm deficientes auditivos empregados para fazeruma pesquisa de campo. Foram entrevistados supervisores e gerentes que trabalham com surdos. Foi obtido no resultado da pesquisa que deficientes auditivos se igualam aos empregados que não possuem essetipo de doença, ou muitas vezes são mais eficientes que os mesmo. Isso prova que o deficiente auditivo tem a mesma capacidade que um cidadão que não possui a deficiência. As pessoas que cercam odeficiente auditivo não devem ter preconceito, mas também não devem “superprotege-los”, pois apesar da sua dificuldade de escuta, eles são cidadãos comuns e devem ser tratados como tal. Hoje em dia há...
tracking img