Empreendedorismo na economia brasileira

  • 03/04/2011
  • 444 Palavras
EMPREENDEDORISMO NA ECONOMIA BRASILEIRA
Segundo Dornelas (2001), apenas a partir da década de 1990 o conceito de empreendedorismo
passou a ser difundido no Brasil.
Por meio da abertura daeconomia, a entrada de produtos importados ajudou a controlar os preços,
uma condição importante para o país voltar a crescer, mas trouxe problemas para alguns setores
que não conseguiam competir com osimportados, como foi o caso dos setores de brinquedos e de
confecções, por exemplo.
Devido à globalização e, conseqüentemente, à desestabilização da economia brasileira, as
empresas tiveram queprocurar novas alternativas para aumentar a competitividade, reduzir os
custos e manter-se no mercado.
Dornelas (2001, p.15) afirma que “a preocupação com a criação de pequenas empresas duradouras
e anecessidade da diminuição das altas taxas de mortalidade desses empreendimentos são, sem
dúvida, motivos para a popularidade do empreendedorismo (...)”.
A partir desta análise pode-se afirmar quediante da instabilidade, o índice de desemprego
aumentou demasiadamente, e diversos “ex-empregados” começaram a criar novos negócios.
Com a criação de entidades como o Sebrae (Serviço Brasileiro deApoio às Micro e Pequenas
Empresas) e Softex (Sociedade Brasileira para a Exportação de Softwares), iniciou-se um trabalho
de políticas e ações que estimulam a criação de empresas com o fornecimento desubsídios e bases
sólidas para a criação de novos negócios.
A explosão da internet, no final da década de 90, e o Programa Brasil Empreendedor, do Governo
Federal, também propiciaram a disseminaçãodo empreendedorismo.
O governo deu início a uma série de reformas, controlando a inflação e ajustando a economia. A
economia voltou a crescer.
Nos anos seguintes surgiram milhares de novos postosde trabalho. Investidores de outros países
voltaram a aplicar seu dinheiro no Brasil e as exportações aumentaram. Em poucos anos o País
ganhou estabilidade, planejamento e respeito.
O progresso...