Elementos constituitivos do estado

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1366 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
4. NÍVEIS DE LINGUAGEM

“A comunicação não é regida por normas fixas e imutáveis. Ela pode transformar-se, através do tempo, e se comparar textos antigos com atuais, percebe-se grandes mudanças no estilo e nas expressões.” (GARCIA, 2003).
Ex: texto da literatura portuguesa
No mundo non me sei parelha,
Mentre me for como me vai,
Ca já moiro por vós – e ai!
Mia senhor branca e vermelha,

Nomundo ninguém se assemelha a mim,
Enquanto minha vida continuar assim,
Porque morro por vós, e ai!
Minha senhora de pele alva e faces

➢ falante altera sua forma de expressar – adequação ao contexto
➢ diversos são níveis de fala.


A FALADA E A ESCRITA


A Língua Falada: Culta, Coloquial, Vulgar ou inculta, Regional, Grupal { Gíria e Técnica.


CULTA: Pessoas de instrução / Obedecea gramática padrão / restrita – privilégio / Conquista cultural de poucos.
• linguagem culta: formal – gramática normativa – escola – trabalho – jornais – livros


Ex: “O governo quer selecionar os integrantes do segundo escalão por meio de concurso público. Depois de passarem pela prova, os pretendentes aos cargos de secretário executivo de ministério e diretor de empresas públicasfarão um concurso que será ministrado por órgãos da administração” (Folha de São Paulo, 23 ago, 1995)


CARTA PRAS ICAMIABAS
As mui queridas súditas nossas, Senhoras Amazonas.
Trinta de maio de Mil Novecentos e Noventa e Seis, São Paulo.
Senhoras:
Não ouço vos surpreenderá, por certo, o endereço e a literatura desta missiva. Cumpri-nos, entretanto, iniciar estas linhas desaudade e muito amor, com desagradável nova. É bem verdade que na boa cidade de São Paulo – a maior do universo, no dizer de seus prolixos habitantes – não sois conhecidas por “icamiabas”, voz espúria, sinão pelo apelativo de Amazonas; e de vós, se afirma, cavalgardes ginetes belígeros e virdes da Hélade clássica; e assim sois chamadas. Muito nos pesou a nós, Imperator vosso, tais dislates daerudição porém heis de convir conosco que, assim, ficais mais heróicas e mais conspícuas, tocadas por essa platina respeitável da tradição e da pureza antiga


COLOQUIAL: espontânea / satisfazer necessidades vitais / falantes / cotidiana / erros perdoáveis / deslizes gramaticais;
Ex.: Cadê o livro que te emprestei? Me devolve em seguida. Sim?


➢ Linguagem Vulgar: Própria de pessoassem instrução; é natural, colorida, expressiva, livre de convenções sociais. É mais palpável porque envolve o mundo das coisas. Infringe totalmente as convenções gramaticais.
Ex.: Nóis ouvimo falá do programa da televisão.


➢ Regional. Está circunscrita a regiões geográficas, caracterizando pelo acento lingüístico, que é a soma das qualidades físicas do som (altura, timbre,intensidade). Tem um patrimônio vocabular próprio, típico de cada região.
Ex.: A La pucha, tchê! O índio está mais por fora do que cusco em procissão – o negócio hoje é a tal de comunicação, seu guasca!

➢ Grupal –Técnica: Existem tantas quantas forem as ciências e as profissões: da Medicina, do Direito,
Ex.: O materialismo dialético rejeita o empirismo idealista e considera que aspremissas do empirismo materialista são justas no essencial.

➢ Grupal – Gíria: Existem tantas quantas forem os grupos fechados. Há gírias policial, a dos jovens, dos estudantes, dos militares, dos jornalistas etc.
Ex.: E então, vamos nessa?
- Saca! Não to a fim, aqueles caras são um saco.
- Pô meu! Se liga, vai ser massa.
- Tá bem. Dá um tempo pra eu pensar. Te ligo ànoite.


DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO

Denotativo – É o mais ou menos igual para todas as pessoas que falam a mesma língua. É o sentido real, objetivo aquele que aparece nos dicionários.
• Sentido real
Ex.: O Fantástico noticiou as grandes tempestades no Sul do Brasil.
À noite todos contemplavam as estrelas no céu.
Conotativo – o significado emocional ou avaliativo de acordo com as...
tracking img